Tempo de Leitura: 11 minutos

Basta a ideia de gravidez passar pela cabeça do casal, que opiniões, dicas e avisos são feitos de todos os lados possíveis. Mãe, avó, tia, amiga, vizinha, e até mesmo uma colega de trabalho tem algum conselho sobre o que fazer ou não para engravidar.

A verdade é que algumas convicções do senso comum podem mais atrapalhar do que ajudar, aumentando a ansiedade e gerando frustrações. Nessas ocasiões vale seguir prudência médica, claro, sem deixar de lado alguns conselhos dos mais antigos, sempre se pautando em ciência real.

O que ajuda na manutenção da fertilidade?

Mulheres que planejam engravidar precisam saber que os mecanismos biológicos são bastante complexos. É preciso estar em adequados níveis hormonais, fisiológicos e anatômicos para que a gestação aconteça, e isso nem sempre é possível.

Conheça algumas dicas simples para alcançar o bem-estar geral e aumentar sua fertilidade.

1. Fuja do estresse e pratique exercícios

Não importa as circunstâncias: o estresse é sempre ruim para o nosso organismo, e pode ter um efeito ainda mais devastador para quem está tentando engravidar.  As atividades físicas visam à melhora da qualidade de vida, com redução do estresse.

2. Dieta saudável

Deixe de lado os fast foods e opte por refeições mais saudáveis, que incluam saladas leves e proteínas magras. Prefira alimentos frescos, orgânicos, naturais, com vida! Evite os alimentos industrializados: afinal, você realmente acha que algo que dura um ano dentro de uma lata vai sempre te fazer bem?

3. Evite cafeína

Sabemos que a cafeína diminui a fertilidade e aumenta o risco de abortamento. Mulheres que querem engravidar não devem consumir mais de 200 mg de cafeína por dia. Isso significa evitar tomar mais do que 2 xícaras de café por dia!

4. Álcool é prejudicial

O álcool também é um fator que pode prejudicar a fertilidade. Estudos na nossa área mostram uma redução de 16% nas chances de engravidar para quem ingere mais de quatro doses.

5. Não fume

As pesquisas indicam que as fumantes levam quase dois meses a mais para engravidar do que as não fumantes. Além disso, as mulheres que fumam têm risco maior de ter a menopausa mais cedo: quem fuma bastante chega a antecipar a menopausa em até 4 anos!

6. Não use outras drogas

Maconha, cocaína e heroína diminuem os níveis dos hormônios sexuais, além de causar aborto, descolamento prematuro da placenta, malformações e parto prematuro.

7. Fique atenta ao ciclo menstrual e período fértil

Todas nós sabemos que as mulheres têm a melhor chance de engravidar no período fértil. Portanto, manter relações sexuais nesta fase é fundamental para quem quer engravidar. Não sabe quando é seu período? Conta simples: se seu ciclo tem intervalos de 28 dias, você deve ovular por volta do 14º dia. O período fértil são 6 a 7 dias antes da ovulação, incluindo este dia. Assim, seu período fértil começaria por volta do 9º dia e iria até o dia da ovulação.

8. Mantenha relação sexual adequada

Recomendamos  manter relação durante o período fértil, diariamente ou a cada dois dias, principalmente nos dois dias antes da ovulação e novamente no dia que você acredita estar ovulando.

9. Vitaminas

As vitaminas são uma ótima maneira de melhorar a sua saúde em geral e dar ao seu corpo exatamente o que ele precisa. Veja nesse vídeo um pouco do que resumi sobre as vitaminas e fertilidade.

10. Use o ácido fólico

O ácido fólico reduz muito as chances de malformações do tubo neural (ex.: espinha bífida) nos bebês, então é importante obter uma dosagem diária suficiente (pelo menos 0,4 mg/dia) antes e durante a gravidez.

11. Atenção à vitamina D

Ano após ano, inúmeros estudos vêm sendo publicados sobre a vitamina D. Na fertilidade, a vitamina D aumenta as taxas de implantação do embrião. Recomendamos a dosagem da 25-OH-vitamina D e, se os níveis estiverem abaixo de 30 ng/mL, deve-se realizar suplementação. Para o homem, a vitamina D também pode melhorar a fertilidade.

Erros sobre a fertilidade

Tão ou mais importante do que saber o que ajuda na preservação da fertilidade, é saber o que não fazer. Conheça alguns dos erros mais comuns quando o assunto é fertilidade e confira se você não está caindo em algum deles!

  • Ter muitas relações sexuais

Fazer sexo todos os dias com o único objetivo de gerar uma criança pode trazer grandes problemas para o casal, já que a relação sexual pode virar uma obrigação e fonte de estresse e desgaste emocional. Nossa recomendação para aumentar a chance de concepção é ter relações a cada 2 dias ou uma vez ao dia, no período fértil. Agora, claro que, se o casal quiser ter relações diárias, independente do período, apenas por prazer, não há problemas.

  • Ter poucas relações sexuais

Deixar para fazer sexo apenas no período que se imagina ovular (dia da ovulação) é um risco. Mesmo que seu ciclo menstrual seja regular, as ovulações podem variar a cada mês e você pode perder o dia mais propício para a fecundação. A recomendação é de ter relações sexuais durante o período de cerca de 6 dias que antecedem a ovulação, incluindo este dia. Isso aumenta as chances de engravidar, já que após a relação sexual os espermatozoides vivem dentro do corpo feminino por até 5 dias, o que permite que uma relação sexual vários dias antes da data exata da ovulação leve à fecundação.

  • Demorar a buscar ajuda de um especialista

Até os 35 anos, é normal que a mulher leve até um ano para conseguir engravidar. Cerca de 85% das pacientes saudáveis engravidarão nesse período. Mas há exceções, e se você teve alguma infecção pélvica importante, tem histórico de doenças sexualmente transmissíveis, síndrome dos ovários policísticos ou endometriose, deve buscar a ajuda de um especialista assim que desejar engravidar, para não perder tempo. Todo o tempo é precioso, especialmente em Reprodução Humana!

As mulheres com mais de 35 anos devem procurar um especialista seis meses após as tentativas, pois naturalmente há uma queda na fertilidade feminina. E as mulheres com 40 anos ou mais devem buscar um especialista imediatamente, conforme os guidelines recentes da ASRM (American Society for Reproductive Medicine).

  • Imaginar que o problema é apenas com a fertilidade feminina

Quando o casal não consegue engravidar, imagina-se logo que o problema é de infertilidade feminina. Em 40% dos casos, a dificuldade será mesmo da mulher, mas em outros 40% as causas de infertilidade estão relacionadas aos homens — eles podem produzir poucos espermatozoides ou os espermatozoides terem problemas de motilidade e morfologia. Uma análise do sêmen (espermograma com morfologia estrita + índice de fragmentação do DNA espermático) garantirá se a quantidade está normal e se os espermatozoides são capazes de alcançar o óvulo normalmente.

Em outros 20% dos casos de dificuldade para engravidar, o problema pode ser de ambos. Por isso, é importante que o casal seja avaliado de forma completa, para identificarmos onde está o problema (ou os problemas) e tratarmos de forma mais acurada e eficiente.

  • Atenção com os analgésicos

Alguns medicamentos como anti-inflamatórios podem afetar a concepção se forem consumidos no período fértil. Eles podem suprimir as prostaglandinas, que auxiliam a ovulação ao romperem a parede folicular (onde fica o óvulo). O uso de anti-inflamatórios durante o período ovulatório (ibuprofeno, nimesulida, diclofenaco, cetoprofeno etc) pode bloquear a ovulação, impossibilitando a gestação espontânea. Esse fenômeno foi bastante estudado no passado e é conhecido como síndrome LUF (luteinized unruptured follicle, ou síndrome do folículo luteinizado não-roto).

  • Acreditar que algumas posições sexuais engravidam mais

A posição sexual não tem nenhuma influência na concepção de uma criança. Após a ejaculação, os espermatozoides levam minutos para chegar ao óvulo, independentemente da posição em que o sexo foi feito ou se a mulher vai levantar as pernas ou manter os quadris altos após a relação. Não precisa se preocupar com o excesso de líquido seminal que sai após o ato sexual: os espermatozoides já cumpriram o seu caminho. Relaxe e aproveite o momento com seu parceiro.

  • Fazer duchas vaginais

As duchas vaginais desequilibram o pH da vagina e dificultam a movimentação dos espermatozoides até o óvulo. Além disso, podem aumentar o risco de infecção vaginal. Manter o pH da vagina normal (ácido) é essencial para que ela também esteja pronta para receber o sêmen.

Agora que você já conhece os erros mais comuns sobre fertilidade, reduza a ansiedade e fique confiante! E se for necessário, não hesite em buscar ajuda de médicos especialistas em reprodução humana.

Manter uma vida saudável contribui para a fertilidade

Nosso estilo de vida define quem somos. Escolhas saudáveis criam um organismo saudável. Alimentação adequada, atividade física e pensamentos positivos sustentam nossa postura diante da vida. Pequenos ajustes estão ao alcance de todos, e bons hábitos são fundamentais para quem quer criar filhos saudáveis e que assimilem nosso exemplo.

Veja algumas dicas de hábitos que irão melhorar sua vida e suas chances de fertilidade:

  • Evite calor em excesso

O espermatozoide se desenvolve melhor em ambientes frescos. Hábitos como usar frequentemente o laptop no colo e andar muito de bicicleta (mais que 3 horas diariamente) sem banco adequado podem reduzir a qualidade do sêmen, por exemplo.

Homens também devem evitar banhos muito quentes e longos: os testículos ficam na bolsa testicular justamente para ficarem 1 a 2ºC abaixo da temperatura corpórea. Portanto, não os esquente! Evite também calças e cuecas muito apertadas.

  • Exponha-se ao sol

A luz solar aumenta a fertilidade em homens e mulheres pela produção de vitamina D. Como falamos há pouco, diversos estudos recentes evidenciaram os benefícios da vitamina D, parecendo haver uma maior taxa de implantação embrionária quando os níveis estão adequados. Mas cuidados ao tomar sol: excesso pode ser prejudicial, além de envelhecer mais rápido. Prefira os períodos antes das 10h e após 16h.

  • Tire um tempo para relaxar

O estresse pode ter um impacto negativo sobre a fertilidade em homens e mulheres, além de diminuir a libido. Tire um tempo para si mesmo, com hobbies, meditação, massagem e atividades que desocupem sua cabeça.

  • Tome polivitamínicos

Os suplementos vitamínicos contendo nutrientes essenciais para a fertilidade como ácido fólico, vitamina D, vitamina B12, zinco e selênio, podem aumentar as chances de gravidez. Esses nutrientes também são obtidos através de alimentação adequada, mas alguns, como a vitamina D, não chegam a suprir nossas necessidades diárias.

  • Estimule seu corpo

Experimente acupuntura, shiatsu e outras técnicas que trabalhem pontos estimulantes, melhorando a circulação sanguínea, relaxamento e bem-estar.

  • Conheça seu período fértil

Para ter sucesso, você precisa ter relações durante a ovulação. Em um ciclo regular de 28 dias, o período fértil geralmente ocorre do 9º  até o 14º dia. Um dos sinais de ovulação é a presença de muco cervical, com aspecto de “clara de ovo crua”.

  • Controle o peso

Excesso de gordura corporal pode atrapalhar o ciclo menstrual e a ovulação. Mulheres acima do peso têm maior incidência de períodos irregulares. Perder 5% do peso já aumenta as chances de concepção. Mas atenção, mulheres muito magras não possuem gordura suficiente para sustentar um ciclo ovulatório e uma gravidez saudável. Busque o equilíbrio. O ideal é o Índice de Massa Corporal entre 19 e 24 kg/m2.

  • Reduza os carboidratos

Acreditamos que uma dieta rica em carboidratos refinados, como farinha branca, pão, massa e biscoitos podem comprometer a fertilidade. Esses alimentos elevam rapidamente os níveis de glicose, causando um pico de insulina prejudicial à saúde. Dê preferência aos carboidratos complexos que tem maior tempo de digestão, como cereais integrais, aveia, linhaça e batata doce.

  • Ômega 3

O Ômega 3, ácido graxo essencial, é um tipo de gordura encontrada em peixes e também em alimentos funcionais como a linhaça. É essencial para o correto funcionamento hormonal e devem fazer parte do nosso dia a dia. Alguns trabalhos evidenciam a melhora da qualidade dos espermatozoides com o Ômega 3.

  • Beba água

A água nutre todas as células do corpo, incluindo o útero e testículos e é essencial na produção de espermatozoides. Não deixe o seu corpo sentir sede, mantenha-se hidratado(a) durante o dia todo.

No nosso dia a dia, vemos números em diversos programas de tv, revistas, blogs dicas de como preservar bem nosso corpo e mente. Constantemente, somos alertados de que é preciso cuidar de nosso coração, sangue, ossos, pele, pulmão…

Mas poucas vezes, é abordado o tema de fertilidade. Mesmo tendo um papel extremamente importante na concepção de uma gestação, esse assunto dificilmente é lembrado antes mesmos da ideia de gravidez surgir.

Todos os cuidados e precauções com o seu corpo hoje serão colhidos amanhã, com o sistema reprodutor trabalhando de forma eficaz e proporcionando uma gestação saudável e segura a você e a seu futuro bebê, independentemente de quando for.