Tempo de Leitura: 3 minutos

A infertilidade, ainda nos dias de hoje, é negada por boa parte das mulheres que são por ela afetadas. Isso porque, emocionalmente, é um quadro delicado. Até mesmo para aquelas que buscam pela técnica de reprodução assistida para conquistar a gravidez não é nada fácil admitir a dificuldade.

De fato, a infertilidade costuma ser uma ferida no ego feminino. Em geral, as pessoas desejam engravidar por meio de uma relação sexual prazerosa e sem gastar dinheiro. Aceitar que existe um problema e que, talvez, o bebê chegue de uma forma diferente dos demais, nem sempre se dá de forma tranquila no âmbito psicológico.

Em alguns casos, percebe-se até certo sentimento de culpa na mulher, por buscar um tratamento para engravidar. Daí a importância de esse tratamento de reprodução assistida ter um acompanhamento psicológico qualificado e que inclua, não apenas a mulher, mas também seu parceiro.

Desgaste emocional

Para comprovar a necessidade de tratamento, a mulher passa por uma série de exames de sangue e imagem, para investigação completa das causas de infertilidade.

Com os diagnósticos, o médico especialista traça um plano terapêutico. Para muitas mulheres, isso tudo pode ser desgastante em termos emocionais e psicológicos, despertando sensação de impotência e fracasso, que podem aflorar perguntas como “Por que priorizei o lado profissional? Por que não comecei a tentar a engravidar antes?”

O certo é que tratar a infertilidade não é diferente do que tratar qualquer outro problema físico para corrigir o que não está funcionamento adequadamente.

O importante é que a mulher respeite seu próprio tempo para aceitar o diagnóstico de infertilidade, pois somente diante desta aceitação é que o tratamento de infertilidade se tornará possível.

Dificuldades

A mulher moderna já precisa lidar cotidianamente com muitos desafios diários – profissionais, sociais, de insegurança pública, trânsito etc. – e, quando diagnosticada com infertilidade, tem mais essa questão para enfrentar.

Ao optar por um tratamento, ela deve estar ciente das dificuldades que enfrentará e também deve se preparar para não deixar que ele comande todas as áreas de sua vida.

Além de lidar com as mudanças emocionais que a pressão para conseguir engravidar traz, ela acaba condicionando sua vida sexual a relações com hora marcada, com a única finalidade de engravidar. Portanto, se não tomar cuidado, seu relacionamento afetivo volta aos primórdios da humanidade, quando sexo era visto apenas como meio de procriação.

Na área profissional também há consequências. Às vezes, por ter que seguir dias e horários que o tratamento impõe, muitas mulheres não conseguem cumprir todas as suas tarefas, além de precisarem faltar ou chegarem atrasadas ao trabalho.

A questão financeira também pode ser afetada, já que o tratamento de reprodução assistida tem um custo relativamente alto.

Apoio psicológico

Sem um suporte psicológico e o amparo emocional do parceiro, da família e dos amigos, a mulher pode ficar fragilizada, cansada e estressada, e ver seu casamento, profissão, saúde física e mental desabarem em nome de um sonho. Daí a necessidade de um acompanhamento profissional neste sentido.

A infertilidade tem várias causas, entre elas genéticas e anatômicas, e pesquisas apontam que de 15% a 20% dos casais têm ou terão dificuldade para engravidar.

Como hoje em dia muitas mulheres adiam a maternidade e os tratamentos para infertilidade se tornaram mais acessíveis, é cada vez mais frequente as que buscam por tratamento em clínicas de fertilização.

Há dificuldades e há desafios, mas não tenha dúvidas de que, com calma e atenção à sua saúde, você pode realizar o sonho de gerar um filho.