Tempo de Leitura: 2 minutos

É fato comprovado que a fertilidade das mulheres pode diminuir com o passar dos anos. Porém, cada vez mais mulheres têm dado prioridade aos planos de solidificar a carreira e seus relacionamentos para que seus filhos possam vir ao mundo com uma maior estrutura financeira e familiar, o que pode acabar postergando a maternidade.

Segundo médicos, os óvulos estão em sua melhor qualidade até os 35 anos, em média. Aos 40, aumentam as taxas de infertilidade, de abortos espontâneos e de malformações no feto. Um dos métodos utilizados pelas mulheres para preservar a fertilidade é o congelamento de óvulos, mas ele pode ser um pouco arriscado ao ser feito aos 40 anos, já que as chances de obter óvulos adequados são reduzidas.

Neste post, você poderá esclarecer algumas dúvidas sobre o congelamento de óvulos aos 40 anos, se o procedimento vale a pena e quais são os riscos envolvidos. Continue acompanhando!

Quantidade e qualidade dos óvulos

Segundo médicos especialistas em fertilidade, uma mulher com idade entre 41 e 44 anos produz de 6 a 9 óvulos por ciclo. Em comparação com mulheres de 37 a 40 anos, que produzem de 8 a 10 no mesmo período, a diferença parece não ser tão grande. Porém, o que realmente muda é a qualidade desses óvulos.

As mulheres de 40 anos têm, em média, de 5% a 17% de chances de dar à luz a um bebê com vida, dependendo da quantidade de óvulos e embriões disponíveis. Uma mulher com 41 ou 42 anos tem uma chance apenas 2% ou 3% menor que uma entre as idades de 37 e 40 anos de dar à luz a uma criança com vida, segundo pesquisa publicada no site Modern Medicine.

As mulheres que pretendem congelar seus óvulos após os 40 anos devem, portanto, realizar uma série de exames para que uma análise da porcentagem de seus óvulos e de sua qualidade seja feita para, assim, saber se o congelamento é uma opção a ser considerada.

O custo do tratamento

A análise do perfil da mulher após os 40 anos é feita minuciosamente, pois o congelamento de óvulos é um tratamento que demanda um alto investimento financeiro. O procedimento pode custar de R$10 mil a R$20 mil reais e existe uma taxa de manutenção dos óvulos que pode variar entre R$800,00 e R$1.200,00 por ano. Para realizar a fertilização, é preciso desembolsar mais R$7 mil, em média.

Condições para o congelamento

Para que o congelamento de óvulos seja realizado com chances de bons resultados, a mulher não deve estar na menopausa e, no caso de pacientes com câncer, a coleta deve ser feita antes de dar início à quimioterapia. Todos os exames e análises devem ser feitas por um médico para que não haja uma porcentagem muito baixa de sucesso na gestação e os óvulos sejam congelados inutilmente.

A preservação da fertilidade depois dos 40 anos pode, sim, resultar em um grande sucesso. Porém, é um processo que demanda muitos exames e tentativas, além de análises clínicas que avaliam o estado de saúde da mulher e sua genética.

Quer saber mais sobre a preservação da fertilidade feminina? Acesse este guia e fique por dentro de todas as informações!