Tempo de Leitura: 3 minutos

Ainda é difícil reconhecer, mas a infertilidade é um problema que afeta tanto as mulheres quanto os homens. Estudos recentes comprovam que aproximadamente 40% das causas são ligadas às disfunções do órgão reprodutor masculino, afetando a qualidade e a quantidade dos espermatozoides. Os outros 40% das causas são atribuídos a problemas femininos e, ainda, 20% de causas combinadas.

Nos consultórios, temos notado a frequência cada vez maior com que os homens vêm se deparando com o problema. Geralmente, há uma resistência comum dos homens em realizar uma análise do sêmen, mais conhecido como espermograma, exame que deve ser encarado com naturalidade por todos. Confira a seguir mais sobre o assunto e saiba se você precisa fazer uma análise de sêmen.

O que é o espermograma?

O espermograma consiste em um método de análise completa e não invasiva, com alto grau de confiabilidade e rapidez nos resultados. É realizado com uma coleta de sêmen, que normalmente é feita em laboratório. Em uma sala privativa, que contém estímulos visuais, o homem coleta o esperma através de masturbação e o recipiente de plástico é passado para uma equipe de andrologia através de uma janela, evitando constrangimento e garantindo a maior privacidade possível. Em algumas situações, o sêmen pode ser coletado após relação sexual em casa, utilizando um preservativo especial para não destruir os espermatozoides e permitir uma análise adequada. O preservativo deve ser levado ao laboratório imediatamente.

Há algumas regras a serem seguidas, como a limpeza prévia das mãos e do pênis, não utilizar de lubrificantes e preservativos, assim como o fechamento imediato do frasco. O período de abstinência sexual recomendado é de 2 a 5 dias.

O que o espermograma avalia?

O primeiro passo é compreender que através da análise de sêmen é possível verificar índices como volume do sêmen, concentração (quantidade) e qualidade dos espermatozoides (motilidade, forma e composição), bem como pH e sinais de infecção. Embora o espermograma seja o exame mais comum, há ainda outras maneiras de investigar as possíveis causas da infertilidade masculina, como o índice de fragmentação do DNA dos espermatozoides e FISH (teste de aneuploidias) no sêmen.

Todo espermograma é bem feito?

Um bom espermograma deve respeitar alguns critérios, como:

– ser analisado dentro de poucos minutos após a coleta, por uma andrologista ou embriologista especializada e experiente em análises seminais;

– utilizar o critério estrito de morfologia, conhecido como morfologia de Kruger, em que a andrologista avalia pelo menos 100 espermatozoides para dizer quais têm formato adequado;

– padronizar os resultados de acordo com os critérios da Organização Mundial da Saúde estabelecidos em 2010. É relativamente comum vermos espermogramas desatualizados, com critérios que não ajudam no diagnóstico.

Mantendo a saúde em dia, fica mais simples viver as grandes emoções da vida com prazer, como deve ser vivenciada a gravidez. Não vale a pena sofrer desnecessariamente ao acreditar que você ou seu parceiro não são capazes de engravidar. Assim como os métodos de investigação estão disponíveis, os tratamentos são abundantes e acessíveis para diversos casos de infertilidade.

Agora que você já conhece a importância da análise de sêmen, saiba também que existem maneiras de prevenir o problema de infertilidade. Leia o nosso artigo: Os verdadeiros suplementos para melhora da fertilidade masculina. Através destes hábitos e de uma avaliação médica cuidadosa, um grande problema pode, afinal, se transformar em uma solução simples.