Tempo de Leitura: 4 minutos

Você pensou “quero engravidar”, mas não sabe como iniciar os preparativos para realizar o sonho de ser mãe? No artigo de hoje, vamos explicar quais cuidados com a saúde e preparativos familiar são necessários para essa nova fase tendo em vista uma gravidez saudável e tranquila. Confira!

Converse com seu parceiro e planeje as finanças

O primeiro passo é conversar francamente com seu parceiro. Afinal, essa decisão deve ser tomada em conjunto para ter certeza de que as as expectativas e desejos do casal estão alinhados.

Em seguida, é recomendável pensar em um planejamento financeiro. Por isso, faça uma estimativa de gastos e analise o seu orçamento familiar. Tenha em mente que surgirão despesas novas durante a gravidez e com o nascimento do bebê.

Ter um plano de saúde ou mesmo fazer um upgrade do seu atual pode ser uma boa ideia. Lembre-se que muitos planos tem carência de 10 meses para cobertura do parto e, por isso, o plano deve ser contrato pelo menos um mês antes de engravidar.

Melhore seus hábitos alimentares e estilo de vida

A prática de atividade física contribui para a fertilidade. Entretanto, deve-se ter cuidado com os extremos, principalmente quando se trata de exercícios de alta performance, que podem impactar no ciclo menstrual. De 30 a 60 minutos de atividade física moderada por dia é uma faixa segura.

Outra recomendação é buscar entrar no peso adequado antes da gestação, tanto para aumentar as chances de engravidar, como também para diminuir os riscos durante toda a gravidez. O índice de massa corpórea (peso/altura²) é uma das formas de avaliar se seu peso está adequado. Para mulheres a faixa ideal é de 18,5 kg/m² e 24,9 kq/m².

Nessa fase, como também durante toda a gestação e período de amamentação, é imprescindível parar de fumar e não ingerir bebidas alcoólicas. Incluímos nesta proibição os cigarros eletrônicos e vaporizadores (vappings).

Vale ainda redobrar os cuidados com a alimentação, mesmo que não haja restrições. Dê preferência aos alimentos naturais e minimamente processados. Faça uma alimentação variada e em condições normais não faça restrição de grupos alimentares, como por exemplo produtos de origem animal. Isso pode levar a algumas deficiências como as de ferro e vitamina B12 e aumentar o risco de anemia durante a gestação.

Também é preciso cautela quanto às doenças infecciosas que podem prejudicar a gestação, como a toxoplasmose. Por isso, toda mulher grávida deve realizar os exames pré-gestacionais. Para se prevenir dessa doença, lave bem os alimentos crus (frutas e vegetais), consuma apenas água tratada, não coma carne crua ou mal passada e use luvas caso precise ter contato com terra ou areia.

Atualize suas vacinações antes de engravidar, pois algumas vacinas, como sarampo, rubéola e febre amarela devem ser tomadas pelo menos 30 dias antes de engravidar.

Além disso, as mulheres devem iniciar o uso de ácido fólico de seis a doze semanas antes de tentar engravidar. O ideal é que você faça isso antes de parar os métodos contraceptivos em uso.

Consulte o ginecologista

Você decidiu: “quero engravidar”. Então, agora é o momento de consultar seu ginecologista e obstetra. Nessa fase, é necessário verificar a regularidade menstrual, realizar exames de rotina, como papanicolau. Pode ser necessário realizar ultrassom transvaginal para acompanhar o útero e ovário, exames de sangue para verificar se há alguma alteração hormonal ou infecciosa e a critério clínico até exames mais complexos.

O seu médico irá decidir qual o melhor caminho para que vocês tenham uma gestação saudável, baseado na sua história e na do seu parceiro.

Quero engravidar, mas será que vou ter alguma dificuldade?

Algumas situações indicam que é necessário buscar uma clínica de reprodução humana, antes mesmo de se deparar com a dificuldade de engravidar, como, por exemplo:

  • ciclos menstruais irregulares;
  • endometriose;
  • história de síndrome dos ovários policísticos;
  • dores nas relações sexuais;
  • algum distúrbio na tireoide;
  • casos cirúrgicos, como cirurgia abdominal grande para as mulheres e a correção de hérnia
  • inguinal no caso dos homens;
  • diagnóstico de alguma alteração que afeta a fertilidade, tanto feminina, quanto masculina;
  • se já teve doença inflamatória pélvica ou, no caso do parceiro, algum trauma testicular;
  • você ou seu parceiro já tentou engravidar em outro relacionamento, mas não conseguiu.

Nesses casos, não é necessário passar por meses de tentativas antes de realizar uma avaliação com um especialista em reprodução humana. Esse medida, inclusive, pode aumentar as chances de uma gravidez de sucesso.

Gostou do artigo? Para conferir outros conteúdos relacionados à fertilidade e saúde, continue acompanhando o blog da VidaBemVinda.