Tempo de Leitura: 3 minutos

De acordo com as mais recentes estatísticas, quase metade dos casos de infertilidade conjugal está relacionada a fatores masculinos. Esse problema pode ter diversos motivos, como uma baixa concentração de espermatozoides, espermatozoides anormais, ausência de espermatozoides (azoospermia), vasectomia, dificuldades em manter relações sexuais e aumento da fragmentação do DNA espermático devido a varicocele, entre outros. Nesse artigo, falaremos um pouco sobre causas e apontaremos quais são os tratamentos disponíveis.

Algumas causas da infertilidade masculina

A infertilidade no homem pode ser ocasionada tanto por causa de uma só doença como pela união de diversos fatores que, assim, provocam a redução do potencial fértil. Para que o médico possa avaliar corretamente o potencial reprodutivo masculino, é fundamental fazer um bom espermograma com morfologia estrita e, em muitos casos, o exame clínico da bolsa testicular.

Os testículos podem ser acometidos pela varicocele, que é diagnosticada por meio de exame físico e ultrassom. A varicocele é a dilatação das veias testiculares, formando verdadeiras varizes, responsável por até 40% dos casos de infertilidade masculina primária. Uma parcela menor de homens inférteis não tem espermatozoides no espermograma, condição conhecida como azoospermia.

Além das doenças relacionadas à fertilidade, outros fatores podem contribuir de maneira negativa com a produção de espermatozoides: má nutrição, exposição a produtos tóxicos, obesidade, exposição excessiva ao calor testicular, excesso de exercícios físicos, uso de anabolizantes, uso de drogas, como a maconha e a cocaína, além do tabagismo.

Tratamentos para a infertilidade no homem

A partir da definição do diagnóstico, nós, juntamente com o paciente, avaliamos e discutimos as opções de tratamento.

Para que você saiba quais são elas, listamos as principais:

Fertilização in vitro

A fertilização in vitro é uma técnica de reprodução assistida indicada para diversas causas de infertilidade, inclusive quando o homem apresenta alterações moderadas e graves no sêmen, ou que não tiveram melhora com medicamentos ou cirurgia.

O primeiro passo é induzir a ovulação da mulher. Os óvulos são coletados, assim como os espermatozoides. A fertilização é feita no laboratório, através da fertilização in vitro clássica ou ICSI, como veremos a seguir.

Após a fecundação, os embriões se desenvolvem entre três e cinco dias, sendo transferidos para o útero da mulher.

ICSI

Esse tratamento é indicado para os homens que apresentam problemas como a alta taxa de fragmentação de DNA do espermatozoide e o fator masculino grave. Também conhecida como injeção intracitoplasmática de espermatozoides, a ICSI foi desenvolvida há mais de 20 anos e envolve a introdução direta do espermatozoide previamente selecionado através de uma agulha de cristal no citoplasma do óvulo maduro, processo que facilita a fecundação nos casos graves.

Tratamentos cirúrgicos

A cirurgia mais conhecida para infertilidade masculina é a reversão da vasectomia. O médico avalia, durante a cirurgia, o aspecto do líquido proveniente dos ductos deferentes. Observa-se se há a presença de espermatozoides nele, e se o resultado for positivo, existe uma chance muito boa de o paciente voltar a ejacular espermatozoides móveis.

Outro tratamento cirúrgico é a coleta de espermatozoides diretamente do testículo ou do epidídimo. Isso é realizado quando o paciente não consegue ejacular os espermatozoides, seja em casos de vasectomia (sendo indicado o PESA – punção percutânea para aspiração de espermatozoides) ou azoospermia (sendo indicado, principalmente, a Micro-TESE – extração de espermatozoides dos testículos com microscópio). Após a coleta deles, esses gametas podem ser injetados em óvulos através da ICSI.

Essas são algumas das técnicas utilizadas para a infertilidade masculina. Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de mais assuntos como esse.