Tempo de Leitura: 2 minutos

A Fertilização in Vitro é um dos principais tratamentos de reprodução humana para casais com problemas de fertilidade. Entretanto, muitos acreditam que todo o processo é longo e complicado, o que gera dúvidas e receios quanto ao procedimento.

Para te ajudar a compreender cada fase do tratamento, acompanhe o artigo e descubra como funciona a Fertilização in Vitro passo a passo!

Conheça a Fertilização in Vitro passo a passo

Antes de iniciar qualquer tratamento, é imprescindível investigar as causas da infertilidade e verificar a saúde do casal. Somente desta forma é possível identificar qual a alternativa mais adequada para conquistar a tão desejada gravidez.

Quando a FIV é indicada, compreender cada fase do procedimento é a melhor alternativa para o casal se preparar para este momento e se tranquilizar quanto ao tratamento. Por isso, entenda como funciona a Fertilização in Vitro passo a passo:

Fase 1 — Coleta de gametas femininos (óvulos) e masculinos (espermatozoides)

Com a intenção de potencializar a quantidade de óvulos disponíveis para a captação, utilizamos hormônios que estimulam o crescimento dos folículos ovarianos. Lembrando que no ciclo natural, geralmente apenas um óvulo fica disponível.

Após a estimulação dos folículos, os óvulos são coletados em laboratório e esse procedimento é feito sob sedação (anestesia leve).

Nessa mesma fase, também é feita a coleta dos espermatozoides. Se não houver nenhum fator masculino que demande algum procedimento específico, esses gametas masculinos são obtidos por meio de ejaculação.

Fase 2 — A Fertilização in Vitro em laboratório

Quando falamos da Fertilização in Vitro passo a passo, vale lembrar que é na segunda fase que ocorre a fertilização propriamente dita. Ou seja, em laboratório serão unidos os gametas femininos (óvulos) e masculinos (espermatozoides) para gerar um embrião.

Existem duas técnicas de aproximação dos gametas, a saber:

  • FIV clássica — quando os melhores espermatozoides são aproximados aos óvulos maduros;
  • Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóides (ICSI) — quando os espermatozoides são selecionados e colocados dentro do óvulo um a um.

É importante frisar que não existe superioridade entre nenhuma das técnicas, mas recomendações individuais para cada casal conforme histórico clínico.

Após a fertilização, segue o cultivo embrionário. Ou seja, os embriões resultantes da fecundação dos óvulos são observados no laboratório por até sete dias, quando o embrião é denominado blastocisto.

Fase 3 — Transferência embrionária

Depois do cultivo em laboratório, o endométrio (tecido que reveste internamente o útero da mulher) é preparado para a transferência embrionária, que também pode ser feita por meio de duas técnicas:

  • a fresco — logo após o cultivo embrionário;
  • transferência de embrião congelado — ocorre quando for desejado pelo paciente ou indicado pelo médico.

A maioria das transferência embrionárias da VidaBemVinda é feita com embrião congelado. Além do processo de congelar e descongelar ser seguro e eficaz, com taxa de sucesso de 95 a 99%, essa técnica gera flexibilidade na hora de realizar a transferência e permite preparar adequadamente o endométrio para receber o embrião. Logo, aumenta as chances de conseguir um resultado positivo.

Gostou de conhecer a Fertilização in Vitro passo a passo? Aproveite para conferir outros artigos como este no blog da VidaBemVinda.