Estudo de pesquisa clínica: Fertilização In Vitro

A VidaBemVinda, em parceria com o LabForLife, iniciará em breve um estudo de pesquisa clínica que envolverá pacientes que necessitem realizar ciclos de Fertilização In Vitro (FIV).

IMPORTANTE:

  1. Todas as medicações que serão utilizadas no estudo já foram aprovadas em relação à eficácia e segurança e estão disponíveis para uso em diversos países, inclusive no Brasil.
  2. O ciclo de tratamento da pesquisa (consultas, ultrassonografias, coleta de óvulos, fertilização in vitro, primeira transferência de embriões, congelamento de embriões e as primeiras três anuidades) serão gratuitos*.

*Exceto exames laboratoriais de sorologias exigidos pela Anvisa e exames de investigação básica.

Abaixo seguem algumas características que te ajudarão a saber se você é ou não candidata a participar:

  • Ter entre 18 anos completos a 40 anos incompletos (idade da mulher);
  • Nunca ter feito fertilização in vitro antes;
  • Ter menstruações regulares (sangramentos com intervalos entre eles de no mínimo 24 e no máximo 35 dias);
  • Não ter endometriose avançada (Estádio III e IV);
  • Não ter história de abortamento de repetição (3 ou + consecutivos)

PARA PARTICIPAR DO ESTUDO:

  • As pacientes preencheram um formulário que foi disponibilizado até o dia 29/02. Nossa equipe de atendimento entrará em contato, até o dia 20/03/2020, com toda as mulheres que estiverem dentro dos critérios de inclusão e forem pré-selecionadas.

LISTA COMPLETA DE CRITÉRIOS DA PESQUISA

INCLUSÃO

  1. AMH < 2.1 ng/mL;
  2. Consentimento informado assinado antes de iniciar o ciclo de tratamento;
  3. Boa saúde física e mental;
  4. Mulheres pré-menopausa com no mínimo 18 anos e no máximo 40 anos completos de idade quando assinarem o termo de consentimento e quando iniciarem o ciclo de tratamento, nessa ordem;
  5. Mulheres inférteis diagnosticadas com infertilidade de causa tubária, inexplicada, endometriose estádio I/II ou cujos parceiros tiverem fator masculino e forem elegíveis para FIV ou injeção intracitoplásmica de espermatozoides (ICSI) usando sêmen fresco ou congelado do parceiro ou doado;
  6. Infertilidade de no mínimo um ano de duração antes do início do estudo para mulheres com até 37 anos e por no mínimo 6 meses para mulheres com 38 anos ou mais (não aplicável se houver fator tubário ou masculino já conhecido);
  7. O ciclo incluído deve ser o primeiro ciclo de estimulação ovariana controlada do indivíduo para FIV;
  8. Ciclos menstruais regulares durando entre 24 e 35 dias, presumidamente ovulatórios;
  9. Histerossalpingografia,histeroscopia, histerossonografia ou ultrassonografia transvaginal documentando útero com anatomia compatível com gestação (isto é, sem evidências de miomas uterinos submucosos ou intramurais maiores que três centímetros, pólipos ou anomalias congênitas que estejam associados a chances reduzidas de gravidez dentro de um ano antes do início do estudo);
  10. Ultrassonografia transvaginal documentando presença de ambos os ovários em posição acessível para coleta de óvulos, sem evidências claras de outras normalidades (isto é, endometriomas maiores do que três centímetros ou ovários de volume muito aumentado que contraindique o uso de gonadotrofinas) e anexos normais (isto é, sem hidrossalpinge) dentro de um ano antes do início do estudo;
  11. Níveis de FSH sérico em false folicular precoce (do segundo ao quarto dia do ciclo) entre 1 UI/L e 15 UI/L, obtidos dentro de três meses do início do estudo;
  12. Sorologias negativas para HIV, HTLV, Hepatite B (antígeno de superfície e anti-core), Hepatite C e sífilis, dentro de 6 meses do início do estudo e de Zika vírus no mês do início do ciclo;
  13. Índice de massa corpórea entre 17,5 e 32 kg/m2 (incluindo os dois valores) no início do estudo;
  14. Disponibilidade em aceitar uma transferência de até dois blastocistos originados do ciclo do estudo em até um ano depois da inclusão.

EXCLUSÃO

  1. Endometriose estágio III/IV conhecida;
  2. Um ou mais folículos maiores ou iguais a 10 mm no dia de iniciar a estimulação;
  3. História de abortamento de repetição (três perdas consecutivas antes de 24 semanas, excluindo-se gravidez ectópica);
  4. Cariótipo anormal da mulher ou do parceiro ou do doador de sêmen. Em casos em que a análise seminal apontar concentração abaixo de um milhão de espermatozoides por mL, pesquisa de microdeleção do cromossomo Y com resultado normal é obrigatória;
  5. Qualquer doença clínica sistêmica significativa (por exemplo, diabetes insulino-dependente);
  6. Qualquer trombobofilia hereditária ou adquirida conhecida;
  7. Tromboembolismo arterial ou venoso ativos ou tromboflebite grave, ou histórico desses eventos;
  8. Porfiria conhecida;
  9. Qualquer doença endócrino-metabólica (hipófise, adrenal, fígado, pâncreas e rim) que possa comprometer a participação no estudo, com exceção de tireoidopatia bem controlada;
  10. Presença de anticorpos anti-FSH conhecida (baseada na história e exames prévios e não em exames realizados durante esse estudo);
  11. Tumores conhecidos de ovário, mama, útero, adrenal, hipófise ou hipotálamo que contraindiquem o uso de gonadotrofinas;
  12. Função renal ou hepática comprometidas;
  13. Lactante atual;
  14. Sangramento vaginal anormal sem causa definida;
  15. Citologia oncótica cervical anormal dentro de três anos do início do estudo (a menos que já tratada e resolvida);
  16. Achados de exames ginecológicos que reduzam a chance de gravidez (malformações uterinas congênitas e dispositivos intrauterinos retidos);
  17. Gravidez corrente (teste de gravidez negativo documentado no início do ciclo) ou contraindicação para gravidez;
  18. Doença inflamatória pélvica corrente;
  19. Uso de modificadores de fertilidade no início do estudo como DHEA, pílulas, progestagênios ou estrogênios;
  20. Uso de medicamentos hormonais (exceto para tireoide);
  21. História conhecida de quimioterapia (exceto para neoplasia trofoblástica gestacional) ou radioterapia;
  22. Abuso corrente ou passado de drogas e álcool dentro de um ano do início do estudo (ingesta de mais de 14 unidades de álcool por semana);
  23. Tabagismo corrente ou passado dentro de três meses do início do estudo (mais de 10 cigarros por dia);
  24. Hipersensibilidade a qualquer dos insumos utilizados no estudo;
  25. Já ter participado do estudo;
  26. Uso de medicamentos ainda não registrados dentro de três meses do estudo.