Tempo de Leitura: 2 minutos

As mulheres já nascem com todo o seu suprimento de óvulos para serem utilizados ao longo da vida. O Hormônio Anti-Mülleriano (AMH) é um hormônio produzido pelas células ovarianas que irão se desenvolver até o estágio de óvulos e é um teste diagnóstico muito utilizado para predizer a reserva ovariana de uma mulher. Entre suas vantagens está o fato de não variar ao longo do ciclo menstrual, como o FSH e LH, e poder ser realizado mesmo em uso de anticoncepcionais. Quanto mais alto o seu valor, maior a reserva ovariana da mulher, ou seja, maior o número de óvulos restantes.

A sua dosagem é realizada por uma amostra de sangue. Consideramos normais valores entre 1,0 e 3,0 ng/mL. Valores abaixo de 1,0 ng/mL indicam uma baixa reserva ovariana.

A reserva ovariana da mulher cai ano a ano em um ritmo lento e estável até os 35 anos, quando a queda passa a ser mais acelerada até a menopausa. Cada mulher tem um ritmo único e na maioria das vezes determinado pela sua genética. Mulheres com um antecedente familiar de menopausa precoce podem experimentar uma queda mais veloz da sua reserva ovariana e em uma idade mais precoce.

A sua dosagem é muito útil para mulheres que estejam enfrentando alguma dificuldade para engravidar, para aquelas que passaram por algum procedimento que possa reduzir a reserva ovariana, como cirurgia ou quimioterapia, e também para aquelas mulheres que estejam perto dos 35 anos e desejam postergar a maternidade.

Para mulheres que já estejam em preparação para um tratamento de Fertilização in vitro ele também tem sua utilidade. De acordo com a sua medida, podemos programar a melhor dose de medicação para evitar um dos maiores efeitos colaterais do tratamento: a síndrome do hiperestímulo ovariano. Níveis mais baixos também indicam a necessidade de protocolos de indução da ovulação personalizados e com a adição de outras medicações, como a testosterona.

É importante ressaltar que um nível do AMH indicando baixa reserva em uma mulher mais jovem (<35 anos) não tem o mesmo significado de um valor baixo em uma mulher mais velha. Uma mulher mais jovem pode ter uma quantidade menor de óvulos mas, em geral, a sua qualidade é maior, levando a taxas de gestação maiores.

A sua dosagem junto com a idade e outros fatores de infertilidade serão avaliados pelo seu médico para definir o melhor tratamento. Boa sorte!