Tempo de Leitura: 3 minutos

Com a chegada da vacina contra a Covid-19 ao Brasil, muitas mulheres se perguntam sobre como será a vacinação para gestantes e tentantes. Ela é indicada em todos os casos? Será que você deve se vacinar? Descubra no artigo!

Vacinação para gestantes e tentantes contra Covid-19

Os primeiros estudos clínicos das vacinas contra a Covid-19 não incluíram gestantes e lactantes, como ocorre com todos os tipos de vacinas. Logo, não é possível afirmar que a vacinação para gestantes e tentantes é realmente segura e eficaz. Porém, provavelmente é.

Para você entender a lógica, primeiro, é importante saber que há vários tipos de vacinas contra a Covid-19. No Brasil, atualmente estão disponíveis a CoronaVac (desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o instituto Butantan) e a AstraZeneca (desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, em parceria com a FioCruz).

A CoronaVac é produzida com o coronavírus inativo (“morto”). Já a AstraZeneca usa como carreador um adenovírus (vírus do resfriado comum, porém em uma forma não que não causa doença, mas apenas carreia pedaços inativos do coronavírus). Ambos os métodos de produção são seguros para gestantes, pois já foram ou são usados em outras vacinas aplicadas neste grupo.

As gestantes podem tomar a vacina, porém, a decisão é individual. O médico irá conversar com a paciente para avaliar riscos e necessidades.

Do ponto de vista prático, gestantes e tentantes que não tem como evitar a exposição aos riscos de se contaminar, seja por não estar em home-office ou por trabalhar na área da saúde, podem optar por tomar a vacina ao serem convocadas para tal. Já quem consegue manter o distanciamento e isolamento social, pode conversar com seu médico sobre o risco-benefício de não tomar a vacina.

As vacinas que ainda não chegaram ao Brasil (Pfizer e Moderna) usam trechos de moléculas de RNA do coronavírus, que não são infectantes e também não causam a doença. Esse método de produção de vacinas é novo e ainda não foi testado em gestantes, nem mesmo para outras doenças. Assim, temos menor conhecimento ainda sobre seu uso em gestantes e lactantes, mas em teoria, também são seguras.

Como ficam os tratamentos de reprodução assistida?

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) não estipulou um prazo que deve ser respeitado após concluir a vacinação e realizar os tratamentos de reprodução assistida, como a fertilização in vitro e a inseminação intrauterina.

Já a Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia (ESHRE) acredita ser prudente aguardar alguns dias após tomar a segunda dose da vacina para o início do tratamento. Porém, a decisão deve ser avaliada pelo médico, de acordo com a individualidade de cada caso.

Quais vacinas as gestantes devem tomar?

Ainda que a vacinação para gestantes e tentantes contra a Covid-19 seja uma decisão individual, as grávidas não devem desprezar as vacinas imunizantes contra outras doenças.

Algumas vacinas aprovadas para esse grupo são importantes para a saúde da mulher e do bebê e fazem parte do calendário vacinal da gestante. São elas:

  • Tríplice Bacteriana (tétano, difteria coqueluche);
  • Influenza;
  • Hepatite B.

As tentantes, por sua vez, podem se vacinar, além das três vacinas citadas acima, para outras doenças, como a tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola), Varicela, Hepatite A, Febre Amarela e Herpes Genital. Cabe lembrar que deve-se evitar gravidez no mês em que for realizar essas vacinas.

Gostou de saber como está a vacinação para gestantes e tentantes? Para conferir mais artigos como este, siga acompanhando o blog da VidaBemVinda!