Tempo de Leitura: 3 minutos

A gravidez é um momento único, e todas as futuras mamães sonham com um bebê saudável que se desenvolva sem problemas e preocupações. Entretanto, alguns hábitos, como o uso de medicamentos, podem acarretar problemas futuros.

Após anos de pesquisa sobre o assunto, os cientistas comprovaram que o uso de antidepressivos durante a gravidez pode causar o autismo nas crianças. Entenda mais sobre esse assunto a seguir.

Serotonina

A serotonina é uma substância química que tem como função enviar mensagens ao cérebro, tratando-se de um neurotransmissor. Ela regula, entre outras coisas, o humor e os sintomas de depressão no organismo. É uma substância fundamental para a regularização do sono, para a melhora das enxaquecas e dos sintomas da TPM. É conhecido como o hormônio do prazer.

Antidepressivos

Alguns antidepressivos são usados para que a serotonina esteja entre os neurônios e as transmissões das mensagens do organismo para o cérebro sejam feitas de forma correta. Também melhora a degradação da serotonina, não tendo o poder de produção da substância.

Depressão durante a gravidez

A gravidez, além de maravilhosa, traz a produção aumentada de diversos hormônios, deixando as grávidas com problemas de humor, enjoos, irritabilidade e até mesmo depressão. Em média, de 10 a 20% das mulheres sofrem desse mal. Os sintomas mais aparentes são: distúrbios de sono e apetite, pensamentos sobre morte, fadiga, inquietude, dificuldade de concentração, sentimento de culpa. Não ignore se passar por alguns desses sintomas, busque ajuda profissional.

O autismo

O aparecimento do autismo é uma combinação de fatores sem uma causa definida. Quem tem autismo apresenta algumas dificuldades de concentração, comprometimento nas habilidades de interagir com o meio e socialmente e, ainda, comprometimento nas habilidades de comunicação. Infelizmente não há cura, e a criança que tem autismo permanecerá com ele ao longo de sua vida.

Uso de antidepressivos durante a gravidez

Algumas grávidas com casos de depressão avançados, com auxílio do médico, terão o uso de antidepressivos liberado. Um recente pesquisa publicada no JAMA no final de 2015 relacionou o uso dos antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina com o aumento de autismo nas crianças. Contudo, mesmo que o número seja alarmante na mídia leiga – “um aumento do risco relativo de 87% de aparecimento de autismo com o uso de antidepressivos durante a gravidez” –, a chance de cada grávida que usou antidepressivo no segundo e terceiro trimestre ter um filho com autismo (risco absoluto) é de 1,3%, ou seja, um aumento de 0,6% em relação àquelas que não usaram o medicamento. Portanto, devemos tomar muito cuidado ao ler: o risco da população geral ter um bebê com autismo é cerca de 0,7% e aquelas que usaram o antidepressivo na gravidez, tiveram um risco de 1,3%, o que corresponde a um risco 87% maior de quem não usa. Mesmo assim, é um risco muito baixo.

Além disso, um estudo publicado em 2013 no New England Journal of Medicine, um dos periódicos mais respeitados no mundo científico, provou justamente o contrário: o uso de antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina não está relacionado ao aumento de autismo nos bebês.

Auxílio que vem de fora

Com essa avalanche de hormônios, as grávidas podem tomar algumas medidas para melhorar o bom humor e evitar a depressão durante a gravidez. Alguns casos são patológicos e devem ser acompanhados de perto. Mas outros casos são reversíveis. Algumas práticas que podem auxiliar as grávidas são:

Alimentação

Uma alimentação balanceada vai auxiliar, durante todo o período da gestação, tanto o bebê em formação quanto a mamãe. Alguns alimentos são tidos como antidepressivos naturais, como: castanhas, melancia, frutas cítricas, leite, abacate, mel, ovo, carne grelhada, entre outros. Abuse e use desses alimentos, que, além de auxiliar na produção de serotonina, ainda têm diversos nutrientes necessários para esse período.

Exercícios físicos

Os exercícios físicos devem ser feitos com autorização de seu obstetra. Mas a prática de caminhadas, hidroginástica, yoga, pilates e outros exercícios pode aumentar a produção de serotonina, ajudando a ter boas noites de sono, melhorando o humor e prevenindo a depressão.

Não faça o uso de medicação por conta própria durante a gestação e sempre consulte seu médico. A saúde do seu bebê agradece.

Você passa por alguma dificuldade em sua gravidez? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe agora mesmo seu comentário para que possamos te ajudar!