Tempo de Leitura: 3 minutos

Quem tem o sonho de ser mãe, mas se depara com a dificuldade de engravidar, percorre um caminho, às vezes, emocionalmente desgastante. Sabemos que quando falamos em infertilidade, alguns casos são sensíveis ao tempo e uma longa espera pode trazer consequências na busca do tão sonhado bebê. Essa realidade também faz parte da história da fonoaudióloga A.T., que tentou engravidar por dez anos.

Quer conhecer mais sobre o relato de uma das pacientes da VidaBemVinda e descobrir o desfecho da história? Continue a leitura do artigo!

A longa caminhada antes de realizar o sonho de ser mãe

Durante anos, A. T. e o marido tentaram engravidar, sem sucesso. Passaram por várias clínicas e se consultaram com inúmeros médicos com condutas diferentes. Após muitas tentativas, recorreram à Fertilização in Vitro. Tentaram o procedimento duas vezes e, infelizmente, não obtiveram resultados positivos.

Na segunda tentativa, o médico encontrou focos de endometriose e hidrossalpinge. Por isso, antes da FIV, recomendou cirurgia para retirada das trompas, mas, ainda assim, o procedimento não funcionou.

No final dessa experiência, o casal estava preocupado com a idade avançando e a impossibilidade de tentar uma gravidez natural por não terem mais as trompas. Para controlar a ansiedade, A.T teve a ideia de começar a fazer origamis de Tsurus em casa.

O Tsuru é uma ave sagrada que, segundo uma lenda, viveria 1000 anos. Diz outra lenda, que quem dobra mil origamis de Tsurus tem um desejo especial atendido. E, quem ganha um Tsuru, recebe desejo de saúde, de felicidade e de boa sorte.

Para A.T., o significado do Tsuru se ampliou, era a maneira de voltar os pensamentos para o hoje, para o que realmente importava em cada dia, sem a ansiedade do futuro, tornando a caminhada mais leve.

Origami de Tsuru feito pela A.T

A retomada da busca da maternidade e a conquista do resultado positivo

A situação era difícil, mas A. T. não perdeu a esperança de que conseguiria se tornar mãe e começou a controlar a ansiedade ao fazer os Tsurus. Em determinado momento, tinha tantos origamis em casa, que surgiu a ideia de distribuí-los como um gesto de gentileza, o que lhe permitiu colecionar sorrisos e histórias de gratidão.

Com as esperanças renovadas, a fonoaudióloga começou a procurar referências de médicos nas redes sociais até que encontrou o Dr. Lucas Yamakami e o Dr. Renato Tomioka da VidaBemVinda. Pesquisou mais a fundo e decidiu marcar sua primeira consulta. Foi assim que ela e uma revoada de Tsurus chegaram até a clínica.

Sentia-se segura e acolhida! Como um gesto de gratidão, distribuiu Tsurus para todos os profissionais no dia da sua primeira transferência embrionária, no LabForLife.

O exame beta deu negativo, mas A. T. não perdeu as esperanças, pois sentiu o apoio, o amparo e a torcida dos médicos, embriologistas e toda a equipe clínica e administrativa, que já conheciam sua história, assim como os Tsurus que a acompanhavam.

Na segunda Fertilização in Vitro, ela levou consigo mais origamis, com o objetivo de compartilhar esperanças e vida a todas as mulheres que estão passando por essa mesma jornada na busca pelo sonho da gestação. E, dessa vez, o tão esperado resultado positivo chegou e A. T. conseguiu realizar o sonho de ser mãe, após dez anos de tentativas!

Desde então, os Tsurus fazem parte também da VidaBemVinda. O movimento começou com A. T., que deseja demonstrar sua gratidão à toda equipe e também transmitir um recado às pacientes: “a esperança deve estar na vida, que é maior que todo o processo”.

Agora você já sabe, quando chegar na VidaBemVinda e se deparar com Tsurus na recepção, o desejo é que eles encham de esperança todos que do pote tiram o seu pássaro colorido e mentalizam um pedido.

O pedido que cada um faz em silêncio quando pega um Tsuru já está gravado em nossos corações também.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo com aquela tentante que também está passando por esse momento.

Para mais artigos, acesse o blog da VidaBemVinda!