Tempo de Leitura: 1 minutos

Mioma é a doença benigna uterina mais comum nas mulheres em idade reprodutiva. Estima-se que 50% das mulheres neste período podem apresentar miomas uterinos. Desenvolvem-se a partir da proliferação de células da camada muscular do útero e tendem a regredir após a menopausa.

Mioma e Infertilidade

Como fator isolado, o mioma é responsável por apenas 4% das causas de infertilidade. Como se trata de uma alteração comum, podemos encontrar miomas durante a investigação de casais com infertilidade, mas na maioria das vezes, não é a causa ou o único fator de infertilidade.

A localização e tamanho dos miomas podem comprometer a fertilidade. Assim, miomas que estão localizados no endométrio, local de implantação do embrião, podem comprometer a fertilidade e devem ser operados. São chamados de miomas submucosos. Essa localização do mioma, no endométrio, pode estar relacionada com sintomas como aumento do fluxo menstrual e cólicas.

Miomas intramurais estão localizados na parede uterina e, dependendo do tamanho, em geral acima de 4 a 5 cm, podem distorcer a cavidade uterina e reduzir a chance de gestação. Esses miomas não costumam dar sintomas como os submucosos.

Os miomas subserosos, que ficam na parte externa do útero, dificilmente comprometem a fertilidade.

Na gestação, os miomas podem crescer, pois dependem de hormônios como estradiol e progesterona. Com isso, a chance de abortamento, trabalho de parto prematuro e ruptura prematura de membranas ovulares aumenta em miomas volumosos.

Quando devo operar?

A cirurgia está indicada em pacientes com miomas submucosos e / ou miomas maiores que 4 a 5 cm, principalmente os que distorcem a cavidade uterina. Se causarem sintomas importantes como sangramento, dor abdominal e abortamento de repetição, também devem ser retirados.