Tempo de Leitura: 3 minutos

Atualmente, com a posição das mulheres na sociedade e no mercado de trabalho, o congelar os óvulos se mostrou uma ferramenta indispensável para a mulher moderna, que tem desejo de postergar a maternidade.

O procedimento também é indicado em casos onde o futuro reprodutivo da mulher possa ser comprometido, como o tratamento de alguns cânceres ou doenças que prejudiquem os ovários.

Quer saber mais sobre as indicações desse método e tirar as principais dúvidas sobre o congelamento de óvulos? Continue a leitura do artigo!

Situações que o congelamento de óvulos é indicado

Com o congelamento, é possível conservar a qualidade e quantidade dos óvulos, em condições semelhantes à idade da coleta, e, desta forma, preservar a fertilidade feminina. Além disso, atualmente, a taxa de sucesso no descongelamento, a depender do laboratório, pode ultrapassar 90% e as chances de gravidez são semelhantes às dos óvulos a fresco.

Confira agora quando congelar óvulos deve ser levado em consideração:

Mulheres em tratamento contra o câncer

Alguns tratamentos específicos de câncer, como a determinados esquemas de quimioterapia e a radioterapia na região pélvica podem ser agressivos aos ovários e aos óvulos.

Um exemplo dessa situação é a mulher que trata o câncer de mama com quimioterapia e depois tem dificuldade a voltar a menstruar. Isso acontece pois os agentes quimioterápicos usados podem prejudicar a função ovariana de forma irreversível. Por isso, nesses casos, é recomendável que o congelamento de óvulos seja feito antes do início do tratamento quimioterápico.

O indicado é que a paciente que ainda não tem filhos, ou que deseja ser mãe e irá passar por algum desses tratamentos, verifique se existe a necessidade de preservar a fertilidade para não comprometer as chances de uma gestação.

Postergar a maternidade

Algumas mulheres desejam ser mães, mas preferem adiar esse momento. Entretanto, com o avançar da idade, as chances de uma gravidez de risco aumentam. Por isso, se a paciente não quer ser mãe tão cedo, congelar os óvulos é uma ótima alternativa.

Doenças que podem prejudicar a fertilidade

Algumas doenças podem interferir na fertilidade, pois podem prejudicar os ovários a longo prazo, como a endometriose. Além disso, cirurgias pélvicas — como as de endometriose e retiradas de cistos — podem acometer de forma negativa a função ovariana.

Histórico familiar de menopausa precoce

Mulheres com histórico familiar de menopausa precoce, principalmente em mães ou irmãs, têm maior risco de ter uma reserva ovariana comprometida antes do tempo. Portanto, também devem considerar congelar os óvulos para preservar a fertilidade e engravidar quando desejar.

Situações especiais

Ainda é possível realizar o procedimento de preservação de tecido ovariano para possibilitar futuras gestações. A técnica, apesar de nova, é indicada, em casos de pacientes que apresentem necessidade de preservar a fertilidade muito cedo — como crianças com câncer nos ovários —, ou em casos onde não exista tempo hábil para o estímulo ovariano.

Com que idade é possível congelar os óvulos?

É preferível congelar os óvulos antes dos 35 anos. Entretanto, a questão da idade é individual, pois depende muito da reserva ovariana e do histórico clínico e familiar da paciente.

Se você tem o desejo de ter filhos e se enquadra em um dos casos citados acima, passe por uma investigação com um médico especialista para verificar a necessidade de congelar os óvulos e preservar sua fertilidade.

Na VidaBemVinda, todo o atendimento e tratamento são individualizados e nós iremos indicar a melhor opção para você. Acesse nosso site e solicite uma consulta inicial!