Tempo de Leitura: 2 minutos

Quando nascem e durante toda a infância, os meninos são levados pela mãe ao pediatra, que faz o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança e do adolescente. Mas na fase adulta, os médicos parecem deixar de existir para os homens.

Que eles não gostam de ir ao médico, não é novidade. A explicação talvez esteja na educação machista, que insistiu por séculos que homens são fortes, não choram e aguentam tudo. Lenda!

Nos dias atuais, esse quadro tem dado sinais de mudanças; eles andam mais preocupados e vaidosos, tanto com a beleza e aparência, como com a saúde física e psicológica.

Nas clínicas de estética, por exemplo, já se veem homens em busca de tratamento capilar e de pele. Nas academias, não faltam exemplares do dito “sexo forte” que passam horas nos aparelhos de musculação, esteiras e bicicletas, em busca de um corpo saudável e bem definido; nos consultórios de psicanálise, também figuram alguns nomes masculinos entre os clientes. E nos consultórios médicos? Bom, aí, ele vai quando não tem jeito!

As visitas aos especialistas acontecem quando há dor forte, sintoma de alguma doença grave ou questões ligadas à saúde sexual, como a disfunção erétil. Aliás, na fase adulta, a busca pelo urologista pode ser a porta de entrada para acompanhamentos médicos e prevenção de doenças no futuro.

Nos Estados Unidos, há uma iniciativa que pretende mudar nos homens essa resistência em se consultar, prevenindo males nas fases posteriores da vida.

A Sociedade de Reprodução Masculina e Urologia (SMRU) é uma entidade formada por 235 dos maiores especialistas do mundo em medicina reprodutiva masculina, que promove oficinas educativas e incentiva estudantes de medicina a participar de suas reuniões, a fim de unir os aprendizados da vida acadêmica à prática da medicina.

A organização contribui para disseminação do conhecimento ao levar informações sobre a saúde masculina ao público, por meio de internet e redes sociais. Sabe-se que 85% dos homens adultos têm acesso à internet e às novas tecnologias de comunicação; portanto, este é um caminho possível, viável e curto para levar informação de qualidade, séria, e incentivar novos comportamentos, quando o assunto é a saúde masculina.

Junto à consulta médica periódica com especialistas, a incorporação de bons hábitos é essencial quando se deseja conquistar uma vida longa e saudável.

Veja algumas práticas que podem fazer toda a diferença na busca por uma vida melhor:

·  Uma alimentação correta, rica em proteínas magras, frutas, legumes e verduras cruas e grãos;

· A prática de atividade física é outro item que não pode faltar na rotina de quem quer viver mais e melhor;

· O cultivo de boas amizades;

· O cultivo do bom humor;

· Uma rotina de visitas ao médico, desde a infância.

Quando o assunto é saúde, a busca do conhecimento e da informação, ao contrário do preconceito e da resistência, é uma atitude que pode garantir uma vida sem doenças e mais feliz.

Não deixe para amanhã. Leia mais, informe-se, procure um especialista e converse abertamente sobre suas dúvidas. Atitudes como estas, bem dosadas, são ingredientes indispensáveis para uma vida sadia.