Tempo de Leitura: 2 minutos

Novembro ficou mundialmente conhecido como o mês do combate ao câncer de próstata. Esse também é o momento de conscientizar sobre a preservação da fertilidade masculina em pacientes que farão tratamento oncológico.

Você sabe o que é e como é feito esse tratamento de preservação? Então não deixe de ler o artigo!

O que é a preservação da fertilidade masculina?

Primeiramente, é importante esclarecer que não há uma ligação direta entre o câncer na próstata (ou em outros locais) e a infertilidade masculina.

Mas, infelizmente, determinados diagnósticos de câncer necessitam de tratamentos agressivos contra a doença — como a radioterapia e a quimioterapia — e/ou cirurgias pélvicas.

Esses fatores, sim, podem gerar incapacidade física ou funcional no paciente ao conceber uma criança de maneira natural, seja de forma temporária ou permanente.

A boa notícia é que a medicina reprodutiva avançou muito nos últimos anos. Por essa razão, é possível realizar a preservação da fertilidade masculina por meio do congelamento de sémen, também conhecido como criopreservação.

Não há limites de idade para realizar a criopreservação e as amostras podem permanecer congeladas por tempo indeterminado.

Além disso, a quantidade de espermatozoides não precisa ser elevada, pois um número pequeno de gametas masculinos (espermatozoides) já possibilita realizar tratamentos como a fertilização in vitro.

Atenção! Vale destacar que nem todos os homens que passam por tratamentos oncológicos se tornam inférteis permanentemente.

Existe a possibilidade de engravidar a parceira naturalmente, porém, neste caso, a prevenção é a melhor alternativa para ter mais chances de garantir a paternidade no futuro.

Como é feita a coleta para a preservação da fertilidade?

No momento em que o paciente tem o diagnóstico de câncer e a indicação para realizar a criopreservação, deve buscar exames sorológicos para descobrir se o sémen que será guardado está em boas condições.

Para agilizar a fase da coleta, é importante já estar munido com esses exames, geralmente prescritos pelos médicos urologistas ou oncologistas.

Além disso, antes do procedimento de preservação da fertilidade masculina, o paciente deve permanecer em abstinência sexual por, no mínimo, 48 horas.

A coleta de sémen deve ser feita em, no mínimo, três amostras. Esse processo é bem similar a um espermograma. Em seguida, é feita uma análise biomédica por embriologistas para garantir a qualidade do material que será congelado.

O ideal é que a criopreservação seja feita antes da realização das primeiras doses de quimio ou radioterapia.

Portanto, diante de um diagnóstico de potencial infertilidade, tanto o médico quanto o paciente, devem lembrar de recorrer ao congelamento seminal.

Novembro azul e a preservação da fertilidade

O novembro azul se iniciou como uma medida de prevenção do câncer de proposta, mas se concretizou como um mês de conscientização para procurar tratamento preventivo e não corretivo.

A medicina preventiva é importante desde a fase pediátrica, quando a criança vai ao urologista acompanhada da mãe, passando pelo período adolescente e a puberdade, e vai até a prevenção na fase adulta.

Somente desta forma é possível garantir a saúde ao longo da vida.

Gostou de descobrir como é feita a preservação da fertilidade masculina? Para conferir mais artigos como este, siga acompanhando o blog da VidaBemVinda.