Tempo de Leitura: 4 minutos

A laparoscopia ginecológica é um procedimento cirúrgico moderno, utilizado no diagnóstico e tratamento de doenças do trato genital feminino. Além de seguro e com rápida recuperação, o procedimento utiliza tecnologia com imagem em full HD, o que aumenta sua eficiência e qualidade.

Para todos os casos, é preciso saber em quais situações recorrer à laparoscopia e entender como funciona exatamente essa intervenção. Está interessada? Acompanhe o nosso post e saiba mais sobre o tema.

O que é laparoscopia?

A videolaparoscopia, termo mais completo, é um tipo de procedimento cirúrgico em que o médico visualiza os órgãos internos por meio de pequenos cortes e inserção de uma ótica conectada a uma câmera que processa as imagens de todo o abdome.

O nome vem do aparelho utilizado na filmagem dos órgãos internos, o laparoscópio, que é bem fino e composto da tecnologia das fibras ópticas.

O que é laparoscopia ginecológica e quais as suas vantagens?

A laparoscopia ginecológica é uma cirurgia na qual são feitas pequenas incisões na região do umbigo e na virilha para realizar intervenções em problemas no sistema reprodutor feminino. Nela, o laparoscópio é utilizado para visualizar o trato genital durante a operação.

O procedimento é bastante seguro, sendo raros os casos de complicações. Como os cortes são muito pequenos, a cicatrização ocorre com mais facilidade e, além disso, é minimizado o risco de infecções e o desconforto no pós operatório é muito menor. Por esses motivos, uma quantidade menor de medicamentos é utilizada, tornando esse método mais vantajoso para a paciente. Outro detalhe: para a laparoscopia é usada a anestesia geral, que pode ser combinada à anestesia regional, como a raquidiana ou peridural.

Quando a laparoscopia ginecológica é recomendada?

Esta cirurgia é recomendada em vários tipos de problemas ginecológicos. Confira abaixo os principais:

  • Endometriose: é a presença do endométrio fora do útero, geralmente na pelve. A laparoscopia é utilizada para ressecar e cauterizar os focos de endometriose. Em casos graves, são retiradas partes dos órgãos afetadas, como ovários, bexiga, intestino e útero. O período de recuperação, por ser uma cirurgia complexa, pode ser um pouco maior, entre uma e duas semanas.
  • Cisto ovariano: os cistos são bolsas com líquido acumulado que se alojam nos ovários e podem ser de diversos tipos, incluindo cistos benignos e malignos, como o câncer de ovário. A laparoscopia pode ser indicada em casos de cistos muito grandes e malignos, além dos endometriomas, que são cistos de endometriose.
  • Mioma uterino: é um nódulo benigno do útero, muito comum e prevalente na maioria das mulheres. A princípio, é realizada uma tentativa de tratamento clínico. Na falta de resultados, é possível recorrer à intervenção cirúrgica para remover o mioma ou o útero, quando não há mais desejo reprodutivo.
  • Gestação ectópica: ocorre quando há uma gravidez fora do útero, o que coloca em risco a saúde da mulher. A laparoscopia é o tratamento cirúrgico de eleição para gestações ectópicas, sendo as mais frequentes nas tubas uterinas. Pode ser feita a salpingectomia (retirada da tuba) ou a salpingostomia (abertura da tuba para retirada do trofoblasto).
  • Doenças inflamatórias: a laparoscopia pode ser utilizada para diagnosticar doenças inflamatórias no sistema reprodutor feminino, quando estão presentes sintomas como hemorragia, corrimento excessivo com odor desagradável e dores ao urinar.
  • Câncer ginecológico: o procedimento pode ser utilizado para coletar material do trato genital feminino para realizar análises, processo denominado biópsia, bem como tratar doenças como câncer de endométrio e colo do útero, com cirurgias realizadas inteiramente por videolaparoscopia.

Como é a recuperação da laparoscopia ginecológica?

O tempo de recuperação é bem rápido, entre um e dois dias, sendo que a paciente pode receber alta no mesmo dia da cirurgia, em cirurgias mais rápidas. É importante seguir as recomendações médicas, manter repouso físico e não ter relações sexuais durante o período indicado. Atualmente, utilizamos fios absorvíveis, não sendo necessário retirá-los. Além disso, alguns sintomas podem surgir no período pós-operatório, como dor, sensação de gases na região abdominal e desconforto para andar. Eles são comuns e diminuem bastante com o tempo.

A laparoscopia ginecológica é um processo cirúrgico moderno e seguro que pode auxiliar no diagnóstico e combate de doenças do trato reprodutor feminino. Ela é recomendada principalmente em casos de mioma, endometriose, cistos ovarianos, gestações ectópicas, inflamações pélvicas e câncer. A recuperação da cirurgia em geral é rápida e é, na maioria dos casos, o tratamento gold standard.

O que achou de conhecer pouco mais sobre a laparoscopia ginecológica? Leia também nosso post sobre o congelamento de óvulos para gestações futuras e informe-se mais sobre o assunto.