Tempo de Leitura: 3 minutos

Infertilidade é a incapacidade de engravidar após um ano de relações sexuais frequentes e sem métodos contraceptivos. Se isto acontece com você, saiba que não está sozinha: estudos mostram que cerca de 15% dos casais norte-americanos estão passando diariamente pelo mesmo problema.

A infertilidade afeta homens e mulheres da mesma forma, sendo 1/3 dos casos relacionados à infertilidade feminina, 1/3 à infertilidade masculina e o restante dos casos deve-se a uma combinação de fatores nos dois parceiros. Para cerca 10% dos casais, a causa da infertilidade não pode ser definida com os exames atuais.

Como a idade afeta a minha fertilidade?

As mulheres já nascem com um número finito de óvulos, cerca de 1 a 2 milhões, e os óvulos não se multiplicam durante a vida. Assim, com o passar dos anos reprodutivos, o número dos óvulos diminui e a qualidade também se reduz com o envelhecimento. As chances de ter um bebê diminuem cerca de 3% a 5% ao ano a partir dos 30 anos. Esta redução na fertilidade é ampliada para uma extensão muito maior após os 40 anos.

Quais são as causas da infertilidade feminina?

A infertilidade feminina pode ser causada por uma série de fatores:

– Danos nas tubas uterinas (ou trompas de Falópio) podem impedir o contato entre o óvulo e o espermatozoide, dificultando a fecundação. Infecções pélvicas, endometriose e cirurgias pélvicas podem levar à formação de cicatrizes e danos tubários.

– Causas hormonais, que levam a distúrbios de ovulação. Alterações da tireoide e prolactina, por exemplo, podem interromper o equilíbrio hormonal necessário para ocorrer a ovulação, levando a ciclos menstruais irregulares. Os ovários não produzem o estradiol e progesterona de forma adequada, o que interfere no endométrio (camada interna do útero), que não cresce adequadamente. Esses problemas podem ser detectados através de exames laboratoriais e ultrassonografias transvaginais durante o ciclo.

– Causas cervicais. Um pequeno grupo de mulheres pode ter uma condição cervical, na qual os espermatozoides não conseguem atravessar o canal cervical. Caso tenha ocorrido devido à produção de muco anormal ou um procedimento cirúrgico cervical anterior, este problema pode ser tratado com a Inseminação Artificial (Inseminação Intrauterina).

– Fatores uterinos: anatomia anormal do útero como as malformações müllerianas, presença de pólipos endometriais e endocervicais, miomas uterinos e adenomiose.

– Infertilidade inexplicada (ou infertilidade sem causa aparente), prevalente em cerca de 10% dos casais inférteis.

Como investigar?

Se houver suspeita de infertilidade masculina, uma análise do sêmen em laboratório de confiança deve ser realizada. O espermograma avalia a quantidade e qualidade de espermatozoides, dentre outros parâmetros. O ideal é que se tenha pelo menos 15 milhões de espermatozoides por mL, com motilidade (grau de movimentação) progressiva de, pelo menos, 32% e morfologia (formato) de Kruger de, pelo menos, 4%.

Um exame de sangue também pode ser realizado para verificar o nível de testosterona, prolactina, FSH e LH, quando necessário. Quando há suspeita de varicocele (varizes das veias testiculares), o exame clínico realizado por um urologista especializado em Reprodução Humana é fundamental e pode ser complementado pelo ultrassom de testículos.

Se houver suspeita de infertilidade feminina, o médico poderá solicitar alguns exames:

– Exame de sangue para verificar os níveis hormonais, como estradiol, FSH, LH, prolactina, TSH, hormônio anti-mülleriano etc;

– Ultrassonografia transvaginal para contagem de folículos antrais (estruturas que contém os óvulos) e determinar a reserva ovariana;

– Histerossalpingografia (HSG) é um exame para avaliar se as tubas estão normais. É feita com injeção de contraste iodado através do colo do útero e, logo após são realizadas radiografias da pelve para observar se o contrasta passa adequadamente pelo útero e tubas uterinas. Isso permite que as imagem revelem se as tubas estão normais ou obstruídas, além de avaliar possíveis aderências pélvicas;

Você suspeita que é infértil? Conte-nos o que está acontecendo.