Tempo de Leitura: 2 minutos

Freeze- all para Falha de Implantação Embrionária

Um  estudo publicado na Fertility and Sterility de julho de 2017, comparou os resultados de pacientes com falha de implantação embrionária, que transferiram embriões a fresco, ou seja, durante o ciclo de estímulo ovariano para  FIV (fertilização in vitro) e pacientes que congelaram os embriões e transferiram num ciclo subsequente.

A falha de implantação embrionária, ocorre em até 10% dos casais submetidos a FIV, e pode decorrer, da qualidade embrionária, da receptividade endometrial inadequada, e alterações na interação entre embrião e endométrio.

Neste estudo, falha de implantação embrionária, foi considerado quando, mulheres com menos de 40 anos, quando submetidas a FIV não obtinham gravidez, após três ou mais transferências embrionárias consecutivas, com pelo menos  4 embriões de boa qualidade.

Este estudo foi realizado com pacientes com menos de 38 anos, sem malformações uterinas, e sem um fator justificável para repetidas falhas de implantação, com sêmen fresco, e todos os casos submetidos a ICSI (injeção intracitoplasmática do espermatozoide), e todos os embriões transferidos em blastocistos, embriões de quinto dia, e os dois grupos eram homogêneos. Diante de todos estes parâmetros, podemos considerar que foram casos de bom prognóstico, mesmo com  as falhas de implantação.

O resultado foi promissor para aquelas pacientes que congelaram embrião. Foram 287 embriões congelados, 188 descongelados com taxa de sobrevivência de 97,3% (183 embriões); com taxa de gravidez de 59,3% comparada com 34,4% do grupo com embriões transferidos a fresco.  ( OR 2,77; IC 95%, 1,49-5,15, P= 0,001). A taxa de implantação foi  de 39,9% no grupo dos embriões congelados, e de, 15,9% no grupo dos embriões a fresco. (OR 3,5, ic 95%, 2,16-5,66, P= 0,001).

A justificativa para as melhores taxas de gravidez, foi explicada por maior sincronia entre endométrio e embrião num ciclo com hormônios mais próximo do fisiológico, diferente do que ocorre quando o endométrio passa pelo hiperestímulo ovariano, durante o tratamento para a coleta dos óvulos, em que os níveis hormonais estarão muito elevados, o que prejudicaria a janela de implantação embrionária.

Claro, que nem sempre o congelamento embrionário será a solução única e isolada quando nos deparamos com a falha de implantação embrionária, mas, vale a pena ser considerado neste grupo de pacientes.

Bibliografia:

Revisiting the management of recurrent implantation failure through freeze- all policy, Magdi Y, El- Damen A, Fathi AM, ET AL. Fertil  and Steril, July, 2017