Tempo de Leitura: 4 minutos

Estamos acostumados a pensar que a infertilidade está mais ligada às mulheres. Mas atualmente 1 em cada 3 casos está relacionado somente ao homem, e há envolvimento no restante dos problemas em 50% dos casos.

O diagnóstico de infertilidade masculina pode ser uma notícia difícil de ser encarada. Para alguns, pode ser devastador, pois a capacidade de reprodução é equivocadamente associada com a virilidade masculina: é como se falhássemos em nossas funções mais básicas.

A Medicina Reprodutiva avançou muito nos tratamentos do homem infértil e hoje os tratamentos oferecem uma real ajuda e abrem possibilidades para os casos mais graves.

Para melhor entendermos a infertilidade, vamos explicar o básico sobre reprodução.

Os espermatozoides são produzidos nos testículos, então são armazenados nos epidídimos, localizados acima dos testículos. A maior parte do volume do sêmen ejaculado é produzida pelas vesículas seminais, estruturas que ficam próximas à próstata. Quando é chegado o momento, milhões de espermatozoides são ejaculados através da uretra no pênis, com um volume aproximado de meia colher de chá, de 1,5 a 5 mL.

Todo esse processo depende de níveis apropriados de testosterona e outros hormônios e a correta estimulação do sistema nervoso central.

As mulheres ovulam uma vês por mês, aproximadamente. Isso ocorre cerca de 14 dias após a menstruação. Ter relações sexuais nos 5 dias que antecedem a ovulação podem gerar uma gravidez. Relações sexuais nos dias após a ovulação raramente levam à concepção, devido ao curto período para fertilização do óvulo, ou seja, à “vida” curta do gameta feminino.

Geralmente é aconselhado aos casais que procurem ajuda quanto à fertilidade se estão há pelo menos 12 meses tentando engravidar, mantendo relações sexuais sem proteção, e 6 meses, se a mulher tiver 35 anos ou mais, já que a idade feminina é um dos principais fatores para o sucesso. Cerca de 85% dos casais conseguem conceber dessa forma, naturalmente. Para o restante, é a hora de procurar ajuda adequada e especializada.

CAUSAS COMUNS DA INFERTILIDADE MASCULINA

Como dito, o fator masculino contribui para a infertilidade em metade dos casos; em um terço dos casos, a causa é exclusivamente do homem. Comumente, o problema reside na produção dos espermatozoides e saída durante a ejaculação.

Vejamos algumas:

  • Varicocele – designa a formação de varizes nas veias da região do escroto (bolsa testicular), onde estão alojados os testículos. A dilatação dessas veias prejudica o fluxo sanguíneo local, a troca de nutrientes e leva ao acúmulo de substâncias tóxicas e ao aumento de temperatura. Podem provocar alterações na quantidade e qualidade dos espermatozoides, sendo a principal causa de infertilidade masculina.
  • Criptorquia – testículos que não completaram sua descida, permanecendo dentro da barriga (abdominais) ou no canal inguinal ou aqueles que durante a sua descida se desviam da rota principal do músculo que os direcionaria até a bolsa testicular, e se fixam na raiz da coxa, períneo, pênis, no outro lado do escroto ou na região inguinal, mais superficiais.
  • Infecções nos testículos (orquite) ou próstata (prostatite), levando à inflamação e obstrução do trajeto de passagem dos espermatozoides.
  • Medicações como esteroides anabolizantes e anticonvulsivantes.
  • Anomalias genéticas.
  • Distúrbios hormonais, como hipo e hipertireoidismo.
  • Uso de drogas com cocaína e ecstasy.

EXAMES E TESTES

Além do espermograma, existem outro exames capazes de avaliar a fertilidade masculina, dentre eles estão:

  • Fragmentação do DNA espermático: capaz de avaliar a integridade do DNA dos espermatozoides. Altas porcentagens de fragmentação estão relacionadas a menores taxas de sucesso na Fertilização in vitro.
  • Exame de anticorpos anti-espermatozoides: avalia a presença de auto-anticorpos contra os espermatozoides. Algumas situações podem aumentar o risco do próprio homem produzir anticorpos (IgA, IgG, IgM) contra seus gametas, como a própria vasectomia e reversão de vasectomia.

O especialista deve avaliar a saúde do homem de forma integral, através da anamnese completa, exame físico e exames mais detalhados, para avaliar todo o seu sistema reprodutor. Pode ainda questionar sobre o uso de medicamentos, drogas ilícitas e abuso do álcool, visto que estas substâncias podem alterar a qualidade e a quantidade de espermatozoides.

TRATAMENTOS

Muitas técnicas estão disponíveis, e podemos citar a reprodução assistida como a fertilização in vitro ou Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoide (ICSI). Com todos esses avanços, tornamos viável a concepção para os homens com alguma chance de procriar. Os avanços nos tratamentos e as descobertas dos fatores ambientais causadores da infertilidade estão possibilitando ao homem cuidar melhor de sua saúde, prevenir complicações e reverter quadros graves que o impossibilitam de viver a vida plenamente.