Tempo de Leitura: 1 minutos

Não há uma causa específica para a endometriose.

Algumas explicações para o seu surgimento são relacionadas à menstruação retrógrada (o sangue menstrual volta pelas tubas uterinas), ao crescimento das células embrionárias, a desordens no sistema imunológico, a alterações genéticas e fatores hormonais e ambientais.

Geralmente, as mulheres acometidas pela condição têm menstruação muito dolorida, sentem dor durante a relação sexual, e podem ter dores ao evacuar e urinar durante o período menstrual. Muitas também sofrem com a infertilidade.

Sob essas condições, é necessário procurar um médico e fazer todos os exames indicados, pois, o quanto antes a endometriose for identificada, melhor para a paciente, que sentirá incômodos por menos tempo e terá mais chances de ser curada.

Há, no entanto, alguns fatores de risco para desenvolver a doença:

  • Nunca ter engravidado;
  • Ter parentes próximas que já sofreram da doença;
  • Qualquer condição de saúde que não permita que o fluxo menstrual seja expelido naturalmente pelo organismo, como malformações genitais;
  • Histórico de infecção pélvica;
  • Nunca ter usado contraceptivo oral (pílulas).

Ela surge muitos anos após o início da menstruação, e seus sintomas findam com a menopausa.

As complicações que a endometriose não tratada pode trazer são sérias – a fertilidade pode ficar ameaçada, e é fato que o câncer de ovário tipo endometrioide se desenvolve mais facilmente em mulheres que sofrem da condição.

Por isso, se você se identifica com um dos itens de risco citados, fique atenta ao seu corpo. Caso sintomas surjam, procure um especialista o quanto antes. A endometriose pode ser tratada e, além de você se livrar das dores e incômodos que ela provoca, garantirá uma vida mais saudável e um organismo preparado para a concepção.