Tempo de Leitura: 2 minutos

Diferentemente de grande parte das doenças modernas, a endometriose tem chances de chegar sorrateiramente, sem alardes e sem provocar sintomas, ou sintomas específicos dela.

Grande parte do mal estar e dores que as pacientes sentem são também inerentes a outras condições comuns à saúde feminina, e não doenças propriamente ditas.

Por isso, toda atenção é necessária para não deixar que um sintoma aparentemente corriqueiro seja deixado de lado, quando pode ser, na verdade, a endometriose se instalando silenciosamente no organismo.

Confira como a maior parte dos sintomas é simples e faça o acompanhamento adequado de sua saúde com um especialista:

  • Cólica menstrual ou dismenorreia: é considerada o principal sintoma da endometriose. Pode ser progressivamente mais forte em algumas pacientes, mas pode continuar leve, por muito tempo, em outras, dificultando a identificação da doença. Ela é simplesmente confundida com cólica menstrual comum (dismenorreia primária) e o tratamento pode demorar a começar por causa disso;
  • Dor nas relações sexuais: pode ser mais ou menos intensa. Há mulheres que não conseguem manter a relação devido à dor. Novamente, pode ser confundida com um mal estar pontual e ser ignorada pela paciente;
  • Dor e desconforto ao urinar: muito comumente, é relacionada a uma infecção de urina, ou uma cistite. No entanto, pode ser o tecido endometriótico inflamando a bexiga;
  • Dificuldade para evacuar: se o endométrio atinge o intestino, pode haver dificuldade para evacuar, diarreia, dor e até sangramento. Como muitas mulheres sofrem de obstipação instestinal, inicialmente este sintoma é considerado corriqueiro. Já uma diarreia é facilmente relacionada a algum desequilíbrio na alimentação;
  • Infertilidade: estima-se que a endometriose seja a causa da condição em 30 a 40% das mulheres que buscam engravidar. Geralmente, quando a paciente descobre a doença neste ponto, ela está mais avançada, e se desenvolveu exatamente por não gerar nenhum outro desconforto ao organismo. Por isso, a necessidade de acompanhamentos constantes – um médico poderia identificar a endometriose no início.

Além disso, pode haver fadiga excessiva, confundida com estresse, ou insônia, que também pode ser provocada por outros fatores, como a ansiedade.

A mulher precisa estar constantemente atenta para que o pequeno sinal que a endometriose envia não seja confundido com condições rotineiras e simplesmente ignorado. Quanto mais ela se desenvolver, mais difícil e longo é seu tratamento, e as consequências podem causar sofrimento, como no caso de uma infertilidade.

Faça o acompanhamento anual de sua saúde com o ginecologista: esta é a melhor forma de manter a endometriose e seus sintomas silenciosos bem longe de você!