Tempo de Leitura: 2 minutos

Ejaculação precoce é a ejaculação que acontece imediatamente após a penetração ou até mesmo antes dela, sem que o homem tenha qualquer controle sobre o ato. Geralmente é definida como tempo entre a penetração e ejaculação menor que um minuto, sem que a parceira se satisfaça.

É um dos problemas mais comuns ligados ao bem-estar sexual dos homens. Mas, para se caracterizar como um distúrbio, é preciso que o evento se repita em mais da metade das relações sexuais.

Sabe-se que entre 25% e 40% dos homens norte-americanos enfrentam o problema e ejaculam em menos de dois minutos após o início da relação. De acordo com pesquisas, o tempo médio considerado normal para ejaculação é de dois a quatro minutos.

Possíveis causas

A ejaculação precoce pode ser considerada um problema de saúde quando se repete ao longo da vida e em mais da metade das relações sexuais. Ou pode ser considerado um evento passageiro, pontual, e aí não é classificado como um problema de saúde.

Se for um transtorno recorrente, a causa pode estar nos baixos níveis do neurotransmissor, a serotonina (5HT), que é a responsável pelo reflexo de ejaculação.

Já para os casos esporádicos, não há explicações do ponto de vista da medicina. Sabe-se que o estresse psicológico e a necessidade de superar um problema de ereção podem colaborar para o aparecimento do distúrbio.

A ansiedade é apontada como a principal causa: a falta de controle de algum elemento na ejaculação torna o momento estressante e pode resultar em dificuldades entre os parceiros.

Tratamento

A boa notícia é que existem tratamentos disponíveis, que incluem psicoterapias, o uso de antidepressivos,géis anestésicos aplicados no pênis antes da relação, entre outros medicamentos que aumentam a quantidade de serotonina no cérebro e ajudam a reduzir a ansiedade. Mas antes, é preciso ter um diagnóstico clínico, que depende do levantamento criterioso da história do paciente. Toda decisão deve ser tomada a partir de uma consulta com um médico de confiança.

O tratamento é indicado a homens portadores de algumas doenças neurológicas. Nesses casos, o homem deve ser acompanhado por um médico especialista, que fará exames e análises para um diagnóstico. Mudanças de comportamento, terapia de casal e o apoio da parceira contribuem para enfrentar a situação.

Importante observar que na maioria das vezes a ejaculação precoce é apenas um reflexo de uma situação de estresse, ou problemas de outras ordens, como financeira, dificuldades na relação, problemas no trabalho, entre outros. Nestes casos, não são necessários medicamentos: o problema se resolve quando o estresse for eliminado.

É importante que você não tenha preconceito: a informação é o melhor remédio. Sessões de psicoterapia, com a participação da parceira, costumam ajudar a resolver a causa do problema e colaboram para o fortalecimento e união do relacionamento.

Não se iluda: orgasmos simultâneos são raros. O importante é a satisfação dos parceiros, ainda que cada um no seu tempo.

Se você tiver ejaculação precoce em mais da metade de suas relações, e isto estiver se tornando problemático na sua relação com sua parceira converse abertamente com ela e procure um especialista.