Tempo de Leitura: 2 minutos

Você sabia que a dor abdominal na gravidez é comum? As dores abdominais ocorrem, em geral, no início da gravidez e causam pânico em muitas futuras mamães. Na maior parte dos casos, são associadas às mudanças corporais: o útero está se expandido para se adaptar ao bebê.

Porém, é preciso compreender qual o limite do desconforto abdominal, ou seja, até em qual ponto a gestante não precisa se preocupar. Quer entender mais sobre gravidez e dor abdominal? Continue a leitura e conheça mais sobre o assunto!

As dores abdominais devem ser uma preocupação?

Esse é um ponto que gera dúvidas em muitas gestantes. Afinal, se o desconforto abdominal é comum, eu preciso me preocupar com ele em algum momento? As dores abdominais devem ser de pequena intensidade – o desconforto não deve ultrapassar a sensação de que algo está sendo torcido na barriga.

Quando a dor abdominal é contínua e possui uma intensidade maior, parecida com a cólica menstrual, ela merece maiores cuidados. Neste caso, o desconforto pode ser resultante de complicações mais graves, como pré-eclâmpsia, descolamento da placenta ou abortamento.

Mas não se assuste! As dores mais intensas normalmente são acompanhadas de outros sinais e sintomas, como aumento da pressão arterial, inchaço, sangramento ou corrimento vaginal. Caso você perceba alguns desses sinais, procure imediatamente um médico.

Quais as causas do desconforto abdominal na gravidez?

Como já citamos antes, existem algumas causas que estão relacionadas à dor abdominal na gravidez. Durante o desenvolvimento da gestação, o desconforto abdominal está relacionado principalmente ao útero, pois é resultante das contrações e expansões uterinas.

As dores abdominais podem também ser resultantes de constipações intestinais ou diarreia, devido a problemas no aparelho digestivo. Em alguns casos, o desconforto pode ser o resultado de apendicite, porém ocorre com menor frequência.

Por último, podemos ainda relacionar o desconforto abdominal ao alongamento excessivo no ligamento redondo – ele liga o útero ao púbis. As dores são na parte inferior do abdômen e se estendem até a virilha, com curta duração.

Vale ressaltar que podem existir outras causas para as dores abdominais. O essencial é verificar qual a intensidade e duração das mesmas antes de se preocupar.

Gravidez e dor abdominal: quando procurar ajuda médica?

Em geral, a gestante deve se preocupar quando as dores são mais intensas e persistentes. Além disso, quando os sintomas são acompanhados de febre, fortes dores de cabeça ou inchaço acentuado das pernas, mãos e rosto, as gestantes devem procurar um especialista, pois o quadro pode evoluir e se tornar mais grave. Quanto antes os sintomas forem reconhecidos, maiores serão as chances de se evitar complicações na gravidez.

Vale ressaltar ainda que a gestante não deve hesitar em procurar um médico caso esteja muito ansiosa, mesmo que não tenha alguns dos sintomas que citamos acima. Com a ajuda de um profissional capacitado, a futura mamãe poderá entender o que está acontecendo com seu corpo e se tranquilizar.

Viu como é importante entender a relação entre a gravidez e dor abdominal? Além de evitar problemas mais graves, a gestante poderá ter uma gravidez mais calma!

Você tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Então, compartilhe com a gente nos comentários!