Tempo de Leitura: 2 minutos

Quando se fala em fertilização, muito se pondera sobre a saúde e as condições da mulher. Seu estilo de vida influencia diretamente no modo como seu organismo funciona, e aspectos como sobrepeso, consumo de álcool e tabagismo são reconhecidamente prejudiciais.

Mas não olhe só para elas: eles também têm que se cuidar.

Maus hábitos podem prejudicar a saúde dos homens e, consequentemente, atrapalhar o processo de fertilização. Porém, há um enfoque quase não considerado, mas que merece atenção: o consumo exagerado de gorduras.

Especialistas afirmam que a dieta do homem, considerando-se a quantidade e o tipo de diferentes gorduras ingeridas, pode estar associada à qualidade de seus espermatozoides.

Um estudo realizado há três anos nos Estados Unidos abordou a questão: os hábitos de 99 homens foram avaliados, e foi identificada uma relação entre a alta ingestão de gordura e a menor contagem e concentração de espermatozoides.

Descobriu-se, também, que aqueles que consumiam mais ômega 3, encontrada em peixes e óleos vegetais, apresentavam espermatozoides mais bem estruturados.

Os próprios organizadores ressaltaram que se trata de um estudo pequeno, e que mais e novas pesquisas precisam ser feitas para se ter certeza sobre o papel da gordura na fertilidade masculina.

Também apontaram que há mais estudos sobre a relação entre o índice de massa corporal (IMC) e a qualidade do espermatozoide, e que os resultados, por vezes, foram contraditórios.

Por isso, enquanto não há mais dados sobre o tema, eles explicaram que é certo que homens que mudarem suas dietas e passarem a consumir menos gordura saturada e mais ômega 3 estarão contribuindo beneficamente para a sua saúde geral e para a saúde do sistema reprodutor.

Isso porque as dietas baseadas em gorduras saturadas são um fator de risco para uma série de doenças cardiovasculares.

O estudo

O resultado da pesquisa mostrou que a relação entre ingestão de gorduras e a qualidade dos espermatozoides foi fortemente direcionado ao consumo de gorduras saturadas.

Homens que mais a consumiam tiveram uma concentração de espermatozoides 38% menor do que os que comiam pouco desse tipo de gordura.

Os altos índices, segundo os homens avaliados, já seriam suficientes para servir como um incentivo para práticas saudáveis, eliminando-se o consumo de gordura saturada, presente em carnes animais e derivados do leite, como creme de leite e queijos.

Os dados também indicaram os benefícios do ômega 3: homens que consumiam esse tipo de gordura tinham um pouco mais de espermatozoides com morfologia normal – quase 2%.

O estudo estava sujeito a algumas limitações – o questionário sobre hábitos alimentares pode não ter mostrado de fato como era a dieta deles, e apenas uma amostra de sêmen[RT1]  por homem foi coletada. Por isso, os autores frisaram que a pesquisa não mostra claramente que gorduras alimentares influenciam na qualidade do espermatozoide, mas sim que há uma associação entre ambos.

Fica clara, no entanto, a necessidade de cuidar do organismo e da saúde, evitando alimentos que em nada contribuem para manter o vigor e o bem-estar. Enquanto novos estudos não trazem luz à discussão, o mais recomendado é que homens que queiram se tornar pais repensem suas dietas e evitem as gorduras saturadas.