Tempo de Leitura: 3 minutos

Planejar é um verbo presente no nosso dia a dia. E na vida a dois, geralmente cheia de idealizações e estratégias para alcançá-los, ele é praticado conjuntamente. Normalmente é assim: planejamos algo e trabalhamos para realizar nossos sonhos.

Para comprar uma casa, escolhemos a região, o tamanho da casa, com ou sem quintal e juntamos o dinheiro; para fazer uma viagem, além do dinheiro, elaboramos roteiros, reservas de hotéis, escolhemos lugares e passeios que desejamos fazer.

Mas com o projeto de ter um filho, nem sempre os planos se realizam como esperamos. A dificuldade de engravidar pode surgir e se tornar algo estressante na vida do casal.

Se engravidar naturalmente não acontece e o desejo do casal é grande, a busca por tratamentos de infertilidade deve ser considerada.

No entanto, é preciso saber de antemão que nesse percurso surgem situações estressantes que se agravam com os testes que, em geral, podem causar cansaço físico, emocional e financeiro e podem levar as pessoas a interromper o tratamento.

A importância do controle

Controlar o estresse durante o tratamento é fundamental para manter a segurança e a harmonia entre o casal e baixar os níveis de ansiedade. Há evidências de que quanto mais baixos os níveis de estresse, maiores as chances da fertilização natural.

O estresse e a ansiedade podem levar o casal a fracassar nos tratamentos iniciais e a ter de se submeter a técnicas mais invasivas.

Porém, é importante lembrar que não há provas de que a redução dos níveis de estresse durante os tratamentos de infertilidade, como a fertilização in vitro (FIV), aumente as chances de sucesso. No entanto, certamente o controle emocional traz segurança e tranquilidade para as decisões em relação aos tratamentos, o que é extremamente benéfico. Além disso, um tratamento com menos ansiedade acaba sendo mais harmonioso e traz mais alegria ao casal, mesmo quando o resultado do teste de gravidez é negativo, ajudando o casal a se preparar melhor caso não consiga engravidar de imediato.

Assim, gerenciar ansiedade e estresse é fundamental durante qualquer tratamento de Reprodução Assistida. Para isso, pacientes contam com diversos recursos de apoio e não devem hesitar em buscá-los.

Dicas para um tratamento mais tranquilo:

  • Cuide-se, e procure fazer atividades que lhe tragam bem-estar e prazer;
  • Pratique um esporte regularmente para aliviar a tensão física e emocional;
  • Faça um diário – isso pode ajudar a cuidar das emoções em cada etapa;
  • Busque ocupar e distrair sua mente: a meditação vem ganhando campo na vida ocidental moderna, sem aquele estigma de “coisa de gente que não vive na cidade grande”. Existem vários aplicativos de celular (Calm, Headspace) que inclusive ajudam as pessoas a entrar no processo de meditação, sempre buscando um relaxamento e melhor compreensão do nosso dia a dia.
  • Busque apoio de um psicólogo.

Serviços de apoio

Além dessas dicas, há grupos de apoio, comunidades em redes sociais e artigos a respeito do tema que podem ajudar casais a controlar os níveis de desgastes emocionais que surgem durante os tratamentos de reprodução humana.

O apoio psicológico antes e durante o tratamento é fundamental para que casais se preparem para possíveis resultados e considerem estratégias de enfrentamento do estresse e da ansiedade que inevitavelmente surgem durante esses tratamentos.

Para pessoas simpatizantes de atividades holísticas, outras técnicas além da meditação, como relaxamento, acupuntura, acompanhamento nutricional, massagem e yoga também são recursos que colaboram na redução do estresse.

O importante é entender que, por um caminho ou por outro, cuidar dos sentimentos e das emoções é fundamental para que um casal passe com mais tranquilidade por tratamentos de fertilização.