Tempo de Leitura: 1 minutos

Um desafio constante em nossa prática diária é o tratamento de aborto de repetição (dois ou mais consecutivos), nos quais não se encontra a causa.

Muitos fatores aumentam o risco de aborto de repetição: genéticos, uterinos, endócrinos, hematológicos, metabólicos e imunológicos.

Em metade  dos casos de aborto de repetição, mesmo após uma investigação detalhada, não se encontra nenhuma causa. Nesses casos, tratamentos empíricos são tentados com aspirina, heparina e progesterona.

Recente revisão sistemática publicada em abril de 2017 na revista Fertility and Sterlity (1) analisou as evidências para o uso de progesterona em abortos de repetição (ao menos dois consecutivos) sem causa.

A metaanálise incluiu 10 estudos clínicos com 1586 pacientes e avaliou progesterona natural ou sintética comparada com placebo.

Mulheres recebendo progesterona no primeiro trimestre tiveram um menor risco de perdas gestacionais (risco relativo de 0.72, intervalo de confiança de 0.53-0.97). Suplementação com progesterona não teve impacto em prematuridade, mortalidade neonatal ou anormalidades genitais fetais.

Análise de subgrupos revelou que progesteronas orais, intramusculares e sintéticas estiveram associadas com menor risco de aborto. Progesterona vaginal e natural, entretanto, não afetaram as taxas de aborto.

As progesteronas associadas à redução de risco de aborto foram a caproato de 17-hidroxiprogestrona e a diidrogesterona.

O mecanismo pode se dar por uma correção de um déficit não detectado de produção de progesterona pelo corpo lúteo (cisto que se forma após a ovulação e que mantém a gestação inicial) e pela placenta. Outra possibilidade é uma ação imunomoduladora da progesterona.

A importância desse trabalho é respaldar o uso de progesterona sintética, intramuscular e oral para essas pacientes com perdas gestacionais de repetição sem causa aparente.

 

Referência Bibliográfica

– Saccone G, Schoen C, Franasiak JM, Scott RT Jr, Berghella V. Fertil Steril. 2017;107:430-438. Supplementation With Progestogens in the First Trimester of Pregnancy to Prevent Miscarriage in Women With Unexplained Recurrent Miscarriage: A Systematic Review and Meta-analysis of Randomized, Controlled Trials.