Tempo de Leitura: 2 minutos

fertilidade da mulherO número de casais que desejam ter filhos em uma idade avançada tem aumentado consideravelmente nos últimos anos.

Cada vez mais mulheres esperam se estabilizar profissionalmente e financeiramente antes de iniciarem uma família – a idade média atual ao primeiro filho é de 30 anos, contra a média de 20 anos na década de 70. No entanto, o relógio biológico exerce um papel implacável sobre a fertilidade feminina, sobretudo depois dos 35.

Ao iniciar a puberdade, uma menina dispõe de aproximadamente 300 a 500 mil óvulos em seus ovários, um número limitado, sendo que a cada ciclo menstrual são perdidos até mil óvulos. Esta quantidade tende a acabar por volta dos 50 anos, próximo da menopausa, mas já possui uma diminuição notável a partir dos 35.

Além da preocupação com a quantidade, a idade avançada tende também a comprometer a qualidade dos óvulos. Esse envelhecimento ovariano aumenta o risco de o óvulo carregar alguma alteração genética que pode ser transmitida ao feto, como as aneuploidias, mais comumente as trissomias e monossomias, ou seja, excesso ou falta de cromossomos. O ovário acaba perdendo sua função tanto como órgão endócrino, como reprodutivo.

Obviamente, cada organismo reage ao tempo de uma maneira diferente. Há casos de envelhecimento precoce do ovário ou insuficiência ovariana já a partir dos 30 anos, como também uma gravidez de risco a partir dos 40 anos, que pode ser bem sucedida.

Veja a chance de gravidez durante um ano, de acordo com a idade da mulher:

  •         Até 25 anos – 86%;
  •         25 a 29 anos – 78%;
  •         30 a 34 anos – 63%;
  •         35 a 39 anos – 52%;
  •         40 a 44 anos – 20-30%.
  •         Acima de 45 anos – menos de 5%.

O envelhecimento precoce do ovário pode ocorrer por causas distintas. A primeira é genética, devido ao encurtamento dos telômeros. A segunda se dá pela diminuição do funcionamento e do número das mitocôndrias das células.

Portanto, uma vida saudável e regrada é essencial à manutenção da saúde reprodutiva da mulher, além de um planejamento.

Confira algumas dicas para preservar a fertilidade da mulher:

  •   Não fumar – tabagismo pode antecipar a menopausa em até 4 anos;
  •   Não usar drogas ou álcool excessivamente;
  •   Evitar estresse e distúrbios psicológicos;
  •   Dormir bem;
  •   Praticar esportes de forma equilibrada;
  •   Manter hábitos alimentares saudáveis, com gorduras poliinsaturadas e proteínas magras;
  •   Vitamina D – tomar sol regularmente (mínimo de cinco a dez minutos diários);
  •   Proteger-se das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST);
  •   Conversar sobre congelamento dos óvulos também pode ser uma opção a uma gravidez futura.

Como mencionado, cada organismo possui características específicas e ciclos próprios de maturidade e depreciação dos óvulos.

Antes de qualquer coisa, procure fazer exames regulares que atestem a quantidade da reserva ovariana e, se tiver interessada em engravidar, siga as indicações para aumentar suas chances.



Guia para Tratamento de Infertilidade