Tempo de Leitura: 2 minutos

Ter uma família não é sonho só para adultos, muitas vezes, eles nascem meninos e amadurecem junto conosco.

Assim como a grande maioria das meninas, Ana adorava brincar de casinha.  Cresceu em meio a muitas outras brincadeiras de criança, mas se pudesse escolher, estaria sempre brincando e cuidando de suas bonecas, tratadas com imenso carinho e dedicação.

Ana cresceu e se tornou uma mulher forte e admirável,  muito decidida, sabia traçar objetivos e planos para sua vida, profissional e pessoal, e na medida do possível, tudo sempre foi muito bem.

Algumas bonecas tiveram o privilégio de permanecerem guardadas junto a Ana, pois um dia, quem sabe, sua filha poderia brincar com os brinquedos tão adorados em outros tempos, e esses pensamentos traziam bons sorrisos ao seu rosto.

Mas esses mesmos pensamentos nunca foram tão recorrentes e tão inquietantes quanto no período em que Ana tentou engravidar e formar sua própria família.

Cheia de planos e na certeza de que tudo era só uma questão de tempo, ela se via otimista, mas angustiada e cheia de dúvidas, pois  ausências sucessivas do resultado positivo deixavam Ana com a cabeça cheia de pensamentos indesejados.

A história da Ana é muito mais comum do que podemos imaginar, dúvidas e achismos fazem parte do período de descobertas sobre gravidez, principalmente quando as tentativas se estendem por longos períodos.

Nesse momento muitas mulheres e casais encontram-se perdidos, sem ter a quem recorrer. A frustração é grande o sentimento de impotência é um fardo.

Quando falamos com as pessoas ao nosso redor, encontramos diversas opiniões. Uns dizem para continuar tentando, outros, que não tem mais jeito. Inúmeras receitas, remédios, rezas e simpatias aparecem para nos confundir ainda mais.

Por mais que os outros queiram nos ajudar, cabe a nós a decisãode tomar uma atitude que irá definir os próximos passos dessa jornada: A Coragem.

Devemos saber se estamos prontos, e se temos coragem em seguir numa experiência de auto conhecimento, em saber o que acontece conosco, dentro de nosso corpo. Expor a relação do casal, para aparar arestas e criar laços fortes e maduros.

Encarar a realidade de frente, lidar com as possibilidades de sucesso e fracasso, e saber que elas são reais.

Coragem significa agir com o coração, confrontar o difícil da vida, o amor, a certeza e a intimidação. Uma pessoa corajosa faz o que deve ser feito, por amor.

Motivamo-nos a ir mais além, enfrentamos os desafios com confiança e não nos preocupamos com o pior. O medo pode ser constante, mas o impulso nos leva adiante.

Nossos desafios e dificuldades nos mostram quem somos, e nos levam à um profundo auto conhecimento. Conhecer os sonhos do nosso coração nos levam em direção a eles. E mesmo quando não os realizamos por completo, sabemos que temos alternativas, e outras opções que podem nos abrir caminhos.

A Ana de nossa história, assim como muitas mulheres, acabou descobrindo que era parte desta estatística e precisaria de ajuda para ter filhos.

Isso não a impediu de buscar auxílio, ao contrário, foi um fator motivador para que ela tornasse seu sonho realidade. Sem coragem, Ana não teria buscado e encontrado ajuda. E hoje, suas bonecas têm com quem brincar.